quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Mestre

És mais que uma pessoa,és símbolo, paixão, ideal, sonho!
Mito de um ser que tudo sabe,companheiro, amigo,mão que se estende na complexidade dos caminhos da vida.
Muitos mitos, ídolos, amigos, companheirospassam por nossas vidas, comunicam conhecimentos,abrem nossas mentes,proporcionam parâmetros, despertam valores.
Mas, os anos passam,conhecimentos ficam adormecidos,normal ultrapassadas, novas formas,novos hábitos, novos costumes,
Mas, no nicho sagrado das lembranças, permanece o mestre.Ele será para sempre alguém muito especial,referência segura que ilumina e faz discernir caminhos.
Quem nos comunica vida, carinho, bondade,quem oferece por nós horas de sono, de dedicação,de empenho, planta para sempre uma semente em nosso coração.
Os nossos conhecimentos vão evoluindo,a lembrança do mestre permanece para sempre,ele atinge o profundo de nossas vidas.
Eterniza em nós algo do seu coração.

Aos Professores

As bolas de papel na cabeça,os inúmeros diários para se corrigir,as críticas, as noites mal dormidas...Tudo isso não foi o suficientepara te fazer desistir do teu maior sonho:Tornar possíveis os sonhos do mundo.
Que bom que esta tua vocaçãotem despertado a vocação de muitos.Parece injusto desejar-te um feliz dia dos professores,quando em seu dia-a-diatantas dificuldades acontecem.
A rotina é dura, mas você ainda persiste.Teu mundo é alegre, pois vocêconsegue olhar os olhosde todos os outros e fazê-los felizes também.
Você é feliz, pois na tua matemática de vida,dividir é sempre a melhor solução.Você é grande e nobre, pois o seu ofício árduo lapidao teu coração a cada dia,dando-te tanto prazer em ensinar.
Homenagens, frases poéticas,certamente farão parte do seu dia a diae quero de forma especial, relembrara pessoa maravilhosa que você ée a importância daquilo do seu ofício.
É por isto que você merece esta homenagemhoje e sempre, por aquilo que você ée por aquilo que você faz.

O PROFESSOR SEMPRE ESTÁ ERRADO

Quando...É jovem, não tem experiência.É velho, está superado.Não tem automóvel, é um coitado.Tem automóvel, chora de "barriga cheia".Fala em voz alta, vive gritando.Fala em tom normal, ninguém escuta.
Não falta às aulas, é um "Caxias".Precisa faltar, é "turista"Conversa com outros professores, está "malhando" os alunos.Não conversa, é um desligado.Dá muita matéria, não tem dó dos alunos.Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
Brinca com a turma, é metido a engraçado.Não brinca com a turma, é um chato.Chama à atenção, é um grosso.Não chama à atenção, não sabe se impor.
A prova é longa, não dá tempo.A prova é curta, tira as chances dos alunos.Escreve muito, não explica.Explica muito, o caderno não tem nada.
Fala corretamente, ninguém entende.Fala a "língua" do aluno, não tem vocabulário.Exige, é rude.Elogia, é debochado.
O aluno é reprovado, é perseguição.O aluno é aprovado, "deu mole".
É, o professor está sempre errado mas,se você conseguiu ler até aqui, agradeça a ele!


Fonte: Revista do professor de Matemática 36, 1988

Você sabe como surgiu o Dia do Professor?

O Dia do Professor é comemorado no dia 15 de outubro. Mas poucos sabem como e quando surgiu este costume no Brasil.
No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila), D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A idéia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.
Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia dedicado ao Professor.
Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. O longo período letivo do segundo semestre ia de 01 de junho a 15 de dezembro, com apenas 10 dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a idéia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa – e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.
O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. Com os professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada, para depois crescer e implantar-se por todo o Brasil.
A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".

Feliz dia dos Professores!

Obrigado por fazerem do aprendizado não um trabalho, mas um contentamento.
Por fazerem com que nos sentíssemos pessoas de valor; por nos ajudarem a descobrir o que fazer de melhor e, assim, fazê-lo cada vez melhor.

Obrigado por afastarem o medo das coisas que pudéssemos não compreender; levando-nos, por fim, a compreendê-las...

Por resolverem o que achávamos complicados...

Por serem pessoas dignas de nossa total confiança e a quem podemos recorrer quando a vida se mostrar difícil...

Obrigado por nos convencerem de que éramos melhores do que suspeitávamos.
A todos os meus amigos professores de todas as áreas do conhecimento, tanto os malucos das exatas, quanto os sonhadores das humanas e os indefinidos das biomédicas. Abnegados, lutadores, mestres, doutores, pesquisadores, pais , mães, tios e tias, donas, profes e profas...

Feliz dia dos Professores!