quarta-feira, 27 de abril de 2011

IMPERDÍVEL !!! Dia Nacional e Municipal do Choro - IMPERDÍVEL !!!

Secretaria da Cultura comemora
Dia Nacional e Municipal do Choro
Grupo Reminiscências
 e convidados interpretam o melhor do choro instrumental e vocal neste domingo, com entrada franca
No dia 23 abril
foi celebrado o Dia Nacional e Municipal do Choro.
A Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria da Cultura, realiza neste domingo, 1° de maio, às 20h, no Teatro Vitória, espetáculo musical em comemoração à data.
A tradicional apresentação, que acontece anualmente, conta com o apoio do Sindicato do Comércio Varejista de Limeira (Sicomércio).
O evento terá cerca de uma hora e meia de chorinho com o Grupo Reminiscências e convidados no trombone, trompete, cavaquinho e bandolins, além de homenagem ao centenário de Nelson Cavaquinho, compositor carioca, com participação das cantoras Raquel Pavanelli, Miriam e Cristina. “Juízo Final”, “Folhas Secas” e “A Flor e o Espinho” são alguns dos sucessos do sambista que estarão no repertório.
Juan Carlos Faz de Lima, do Grupo Reminiscências, contou que as expectativas para a noite de domingo são as melhores possíveis.
“Todos os anos o público limeirense prestigia o evento, lotando o Teatro Vitória.
Este ano, esperamos consolidar ainda mais o espetáculo”, disse ele.
A entrada é franca.
Outras informações podem ser obtidas pelo telefone do Teatro Vitória - (19) 3451.6679 - ou no e-mail

Brasil: Barrando a Hidrelétrica de Belo Monte na Amazônia

A proposta
 usina de Belo Monte,
uma catástrofe ambiental, está sendo
atrasada em parte devido à forte pressão
da sociedade -- incluindo uma entrega
espetacular da petição por
lideranças
indígenas
com mais
 de 600.000
 nomes
de brasi
leiros e
pessoas
ao redor
 do mun
do. A Or
ganiza
ção dos
 Estados Americanos se juntaram aos críticos da barragem, dizendo que ela viola direitos humanos -- gerando mais pressão pelo cancelamento do projeto e o investimento em energias verdadeiramente sustentáveis no seu lugar.

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE REFRIGERANTE !!!

 Prof. Dr. Carlos Alexandre Fett -  Faculdade de Educação Física da UFMT Mestrado da Nutrição da

 UFMT

 Laboratório de Aptidão Física e Metabolismo - Consultoria em

Performance Humana e Estética

 **O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE

REFRIGERANTE**

 Primeiros 10 minutos:

 10 colheres de chá de açúcar batem no seu corpo, 100% do

 recomendado diariamente.

 Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido

fosfórico corta o gosto.

 20 minutos:

 O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando um jorro de

insulina.

O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em

 gordura (É muito para este momento em particular).

40 minutos:

A absorção de cafeína está completa. Suas pupilas dilatam, a

pressão sanguínea sobe, o fígado responde bombeando mais açúcar

 na corrente. Os receptores de adenosina no cérebro são bloqueados

para evitar tonteiras.

 45 minutos:

 O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de

 prazer do corpo. (Fisicamente, funciona como com a heroína..)

50 minutos:

 O ácido fosfórico empurra cálcio, magnésio e zinco para o

 intestino grosso, aumentando o metabolismo.

 As altas doses de açúcar e outros adoçantes aumentam a excreção

de cálcio na urina, ou seja, está urinando seus ossos, uma das

causas das OSTEOPOROSE.

 60 minutos:

As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação. Você

 urina.

Agora é garantido que porá para fora cálcio, magnésio e zinco, os

 quais seus ossos precisariam..

 Conforme a onda abaixa você sofrerá um choque de açúcar.

Ficará irritadiço.

 Você já terá posto para fora tudo que estava no refrigerante, mas

 não sem antes ter posto para fora, junto, coisas das quais farão

 falta ao seu organismo.

 E PENSAR QUE TEM GENTE QUE TOMA ISSO NO CAFé DA MANHã, ALMOçO E

 JANTAR...

*Pense nisso antes de beber refrigerantes.

Se não puder evitá-los, modere sua ingestão!

 Prefira sucos naturais.

 Seu corpo agradece!*


























































































segunda-feira, 25 de abril de 2011

Rock In Rio 4 !!! Programação

Banda Gloria toca no dia 25 de setembro no Rock In Rio 4

 
Grupo se apresenta no mesmo dia que Metallica;
pré-venda de ingressos para o festival está esgotada
 
A banda paulista Gloria foi anunciada nesta quarta-feira (20) como atração do Rock In Rio 4.
O grupo se apresenta no dia 25 de setembro, no Palco Mundo, completa o line-up do Dia do Metal. Também tocam no mesmo dia e palco as bandas Metallica, Motïrhead, Slipknot e Coheed and Cambria.
 
Também nesta quarta esgotaram os ingressos destinados à pré-venda para clientes dos cartões de crédito Itaú.
As entradas para o público em geral começam a ser vendidas a partir do dia 7 de maio, no site do Rock In Rio, no Ingresso.com ou em quiosques no Barra Shopping, Rio Sul e Nova América Shopping, no Rio de Janeiro. Até 31 de maio o preço permanece R$ 190.
Após a data, o valor passa para R$ 220.
Clientes do Itaú continuarão com o desconte de 15% e possibilidade de parcelamento em 6x.
 
A quarta edição do Rock In Rio no Brasil acontece entre os dias 23 de setembro e 02 de outubro. Entre os nomes confirmados estão Guns N' Roses, Jay-Z, Katy Perry, Rihanna, Red Hot Chilli Peppers e Metallica.
De acordo com o site oficial do evento, ainda há três atrações a serem confirmadas.
 
No final do ano passado, 100 mil ingressos foram colocados à venda - e vendidos em 21 dias.
Veja abaixo a lista de artistas confirmados até agora em cada palco do festival:




Palco Mundo
 
23 de setembro

Paralamas do Sucesso + Titãs

Elton John

Rihanna

Katy Perry

Claudia Leitte



24 de setembro

Red Hot Chili Peppers

Snow Patrol

Capital Inicial

Stone Sour

NX Zero



25 de setembro

Gloria

Metallica

Slipknot

Motörhead

Coheed and Cambria



30 de setembro

Shakira

Lenny Kravitz

Ivete Sangalo

Jota Quest

Marcelo D2



1° de outubro

Coldplay

Jay-Z

Maná

Skank

Frejat



2 de outubro

Guns N' Roses

Pitty



Palco Sunset



23 de setembro

Móveis Coloniais de Acaju + Orkestra Rumpilezz + Mariana Aydar

Ed Motta + Rui Veloso + convidado

Bebel Gilberto + Sandra de Sá



24 de setembro

Marcelo Yuka + Cibelle + Karina Buhr + Amora Pêra

Tulipa Ruiz + Nação Zumbi

Milton Nascimento + Esperanza Spalding

Mike Patton/Mondo Cane + orquestra



25 de setembro

Matanza + BNegão

Korzus + The Punk Metal Allstars

Angra + Tarja Turunen



30 de setembro

Buraka Som Sistema + Mixhell

João Donato + Céu

Cidade Negra + Martinho da Vila + Emicida

Monobloco + Macaco



1° de outubro

Cidadão Instigado + Júpiter Maçã

Tiê + Jorge Drexler

Zeca Baleiro + Concha Buika

Erasmo Carlos + Arnaldo Antunes



2 de outubro

The Monomes + David Fonseca

Mutantes + Tom Zé

Titãs + Xutos & Pontapés

Marcelo Camelo + convidado (a ser confirmado)



20/04/2011 12:29


Galeria do Rock abre as portas para jazz e blues

Publicado em 25/04/2011
 
A tradicional Galeria do Rock, no centro, quer uma nova identidade, e, para isso, organizará uma série de eventos.
A primeira edição do Galeria do Rock Fest inicia o ciclo hoje, a partir das 21h.
A edição será um especial de jazz e blues e terá como atração principal o americano Mud Morganfield, filho do lendário Muddy Waters.
Também se apresentarão Ana Paula Lopes, que faz um show dedicado a Billie Holiday, e quatro bandas escolhidas pelo público via internet.
O festival acontecerá na própria galeria e será fechado. Ingressos foram sorteados para 500 pessoas.
O perfil da Galeria do Rock no Facebook transmitirá ao vivo em facebook.com/galeriadorock.

A cantora Ana Paula Lopes participa do festival hoje

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Entretenimento - Repertório de rock agita o feriado prolongado no pub Vila Dionísio -

BOM FERIADO...
BOM FIM DE SEMANA E
FELIZ PÁSCOA A TODOS OS SEGUIDORES E NÃO SEGUIDORES
E TAMBÉM AQUELES QUE ACESSAM
OGATOQUECOMEORATO DE VEZ EM QUANDO
OU POR OBRIGAÇÃO DE ALUNO
BEM... ESTE CONTADOR DE VISITAS JA CHEGOU 3 VEZES AOS QUATRO DIGITOS DA MILHAR E REINICIOU!!!
POSSO AFIRMAR SEM SOMBRA DE DÚVIDAS QUE O BLOG TEM CUMPRIDO
 SEU PAPEL ORIGINAL DE INFORMAR E SERVIR DE FONTE DE PESQUISA:

" NÃO IMPORTA A COR DO GATO O QUE IMPORTA É QUE ELE COME O RATO"
(MAO TSÉ TUNG)




Banda Casa das Máquinas se apresenta na quinta-feira
O pub Vila Dionísio traz neste feriado prolongado um refinado repertório de rock.
Na quinta-feira (21), a partir das 21h, Fernando Fish traz para o palco um vasto repertório de rock clássico e acústico.
 Logo após quem toca é a banda Casa das Máquinas, uma das mais importantes da história do rock brasileiro.
 A banda concluiu em 2010 a produção do seu novo disco de estúdio, o primeiro de inéditas desde o aclamado "Casa de Rock", lançado em 1976.
Formada atualmente pelo vocalista, João Luiz, o baterista Marinho, o tecladista Mario Testoni, Fábio César baixista e Leonardo Testoni na guitarra a banda promete um show longo, com diversos clássicos, além de inúmeros “jams” inusitados.
Na sexta-feira (22), a partir das 21h, a apresentação fica por conta da dupla Jorge Ramoneda & Paulão, que traz no repertório muito rock nacional e pop rock acústico.
Depois a banda Move Over, de Bauru, formada por Adriane Santana (voz), Leandro Tenório (bateria), Bruno Bolsoni (guitarra) e Rafael Gomes (baixo), traz para o palco, a partir da meia-noite, o melhor do rock moderno, além de um tributo a Alanis Morissette e Cranberries.

No sábado (23), Jorge Ramoneda & Paulão volta ao palco do pub a partir das 21h e logo em seguida é a vez da banda paulista Alice in Chains, que traz também covers da banda Foo Fighters.

No domingo, para encerrar o final de semana, a banda D´Sugar - System of a Down Cover, promete animar a galera a partir das 22h.

Valores antecipados:
Quinta-feira, sexta-feira e sábado, 21 / 22 e 23 de abril
R$ 15 mulher e R$ 25 homem

Domingo, 24 de abril
R$ 5 mulher e R$ 10 homem


20/04/11 - Fonte: Ribeirão Preto Online

Imagens e Fotos Interessantes e Curiosas da Revolução Paulista de 1932
























terça-feira, 19 de abril de 2011

FALECE EM PORTUGAL AOS 92 ANOS A PRINCESA BRASILEIRA D. TERESA DE ORLEANS E BRAGANÇA

terça-feira, 19 de abril de 2011



Cumprimos o dolorido dever de comunicar aos monarquistas brasileiros e amigos da Família Imperial o falecimento, na madrugada do dia 18, em sua residência no Estoril, Portugal, de Sua Alteza Real a Princesa D. Teresa Teodora de Orleans e Bragança e Dobrzensky de Dobrzenicz, última neta sobrevivente da Princesa D. Isabel, a Redentora.
Filha mais nova do Príncipe D. Pedro de Alcântara de Orleans e Bragança, nascida em 1919, era assim prima-irmã do Príncipe D. Pedro Henrique de Orleans e Bragança, pai e antecessor do atual Chefe da Casa Imperial do Brasil, S.A.I.R. o Príncipe D. Luiz; e tia do Chefe da Casa Real portuguesa, S.A.R. D. Duarte, Duque de Bragança.

Casou-se em 1957 com o Sr. Ernesto Martorell y Calderó, falecido em 1985, tendo dele duas filhas, Elizabeth e Nuria, com quem compartilhou seus últimos anos de vida, marcados pela insidiosa enfermidade - encarada com ânimo decidido e espírito sobrenatural - que terminaria por vitimá-la.
Ao completar 90 anos teve as seguintes expressões: "O segredo para se chegar a essa idade é ser feliz e uma boa cristã, amar a Deus e acreditar sempre. Se não perdermos essas capacidades, conseguimos ultrapassar tudo".
Radicada em Portugal, D. Teresa conservou sempre grande afeição pelo Brasil, onde cultivava muitas relações e amizades, aqui vindo freqüentemente. Tinha particular estima pelo Príncipe D. Luiz, com quem esteve várias vezes, a última delas em 2008 no Rio de Janeiro por ocasião das comemorações dos 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa.
Externando respeitosamente às Famílias enlutadas nossas sentidas condolências, rogamos a todos os amigos da Família Imperial um ato de piedade pelo descanso da ilustre Princesa brasileira.

TAREFA PARA OS ALUNOS DO 1º EM DA EE PROF. PAULO CHAVES




















A vida de M. C. Escher - O Desenhista - Para os Alunos Do 1º EM Da EE Prof. Paulo Chaves


Escher com 15 anos, 1913

Maurits Cornelis Escher nasceu a 17 de Junho de 1898 em Leenwarden (cidade no norte da Holanda). Filho de Sarah Gleichman e de George Arnold Escher, engenheiro civil, é encorajado desde cedo a aprender algumas artes ligadas à carpintaria. Mauk (como era tratado pela família) desenvolve rapidamente o gosto por trabalhos com madeira, aprendendo técnicas que mais tarde lhe serão muito úteis, nomeadamente a xilogravura.

Aos 13 anos dá entrada numa das escolas secundárias de Arrnheim para onde se havia mudado em 1903 com os pais. Era um aluno relativamente fraco, o que explica que não tenha conseguido obter o diploma final quando sai em 1918.

Neste espaço de tempo, e na companhia de um amigo, vai fazendo lineo-gravuras. O seu primeiro trabalho - Pássaro numa gaiola - data de 1916, e não foi apreciado pelos seus professores.

Em 1919, já com 21 anos, Escher vai para Haarlem estudar Arquitectura na Escola de Artes Decorativas. Descontente com o curso e contando com o incentivo do professor e director da escola, Samuel Jesserun de Mesquita (judeu de origem portuguesa), muda para o curso de Artes Decorativas. No entanto, apesar de dominar muito bem as técnicas de xilogravuras, o sucesso neste curso também não foi grande.

Perante tal situação, Escher acaba por abandonar a escola (1922), mantendo embora o apoio de Mesquita, com o qual manteve contacto até 1944, altura em que este é vítima do racismo nazi.

Jesserum Mesquita

Escher na viagem na Itália central

Ainda em 1922, Escher, na companhia de dois amigos holandeses, viaja pelo centro de Itália, país que o encanta desde logo! Pode ler-se mesmo, tal entusiasmo, nas suas cartas e diários, por exemplo, quando vê ao longe as 17 torres de San Diego “Parecia um sonho, não podia ser real...” (cit. in Locher, 1993, p.21). O encanto por Itália está na origem dos seus desenhos que tiveram início neste período.

Espanha foi outro dos países visitados por Escher em Setembro do mesmo ano. Desta visita é de destacar o contacto com a arte decorativa islâmica “...a coisa estranha para mim foi a grande riqueza de decoração e a grande dignidade e simples beleza do todo...” (cit. in Locher, 1993, p.23).

Apesar de ter gostado de Espanha, Escher não esqueceu Itália e passados dois meses aí regressou. Primeiro, instalou-se em Siena mas, em Março de 1923, foi para Ravello, no sul de Itália, onde conheceu Jetta Umiker com quem viria a casar.

Datam desta época, fins de 1922 e inícios de 1923, as primeiras xilogravuras de paisagens italianas. Em Junho do mesmo ano regressou a Siena onde, em Agosto, expôs, pela primeira vez individualmente, os seus trabalhos. Em Fevereiro do ano seguinte expõe na Holanda onde viria a fazer inúmeras exposições dos seus trabalhos.

Essa década foi muito marcante na vida de Escher tanto a nível artístico, dado que os seus trabalhos começam a ser conhecidos, como a nível pessoal. Em 1926, mudou-se de Ravello para Roma, onde viriam a nascer os seus dois filhos mais velhos, George (1926) e Arthur (1930).

O reconhecimento ia aumentando. A sua obra foi apreciada não só a nível europeu, nomeadamente na Holanda, mas também na América onde foi premiado com o terceiro lugar numa exposição em Chicago (1934), com a litografia “Nonza”. Antes disso, em 1932 e 1933 foram publicados dois livros com ilustrações de Escher, XXIV Emblemata e De vreeselijke avonturen van Scholastica, respectivamente.

Em 1935, face à situação política na Itália, mudou-se com a família para Chateaux-d’Oex

Escher em Roma, 1930 na Suíça, onde viria a viver pouco tempo. A paisagem parecia-lhe monótona e pouco inspiradora. Dizia mesmo “...detestável, branca miséria de neve...” (cit. in Locher, 1993, p.47). Assim, passados dois anos, e depois de ter feito uma viagem acompanhado da esposa revesitando alguns países como Espanha, França e Itália, mudou-se com a família para Ukkel na Bélgica, onde passados três anos foi pai pela terceira vez.

O ano de 1939 foi um ano dramático. Em Junho, Escher perdeu o pai que contava, então, 96 anos. Ainda não recomposto de tal perda, foi fustigado por mais uma tragédia familiar. Desta feita, em fins de Maio de 1940, perdeu a Mãe!

Auto - retrato, 1943

É então que, em 1941, decidiu regressar ao país natal, mudando-se para Baarn.

Só em 1951 parece ter atingido o ponto mais alto. Os artigos sobre Escher e o seu trabalho multiplicaram-se, nomeadamente em revistas como The Studio, Time e Life. Em 1954, em simultâneo com uma Conferência Internacional de Matemática, realizou-se em Amesterdão uma grande exposição dos trabalhos de Ercher no Stedelijk Museum. Expõe igualmente em Washington. Passados quatro anos, publicou o célebre texto – Regelmating Vlakverdeling – sobre a divisão regular do plano e, no ano seguinte, surge Grafick en Tekeningen M. C. Escher sobre a sua obra gráfica. Em 1960 expõe em Cambridge e é orador convidado numa conferência internacional de cristalografia. A sua obra torna-se, reconhecidamente, uma ponte entre a ciência e a arte.

Escher trabalhou sempre com regularidade, excepto quando alguns problemas de saúde o obrigaram afastar-se da vida artística. Referimo-nos ao período de 1962 a 1970 durante o qual foi submetido a algumas intervenções cirúrgicas. Mas, mesmo durante esse espaço de tempo, não esteve inactivo.

Um dos seus mais famosos trabalhos – Serpentes – data de 1969. Também ao nível de exposições não esteve parado. Os seus trabalhos foram apresentados publicamente numa grande exposição retrospectiva em The Hague (1968) e outra em Washington.

Depois de uma série de operações instala-se na Rosa Spier House em Laren, no norte da Holanda. Apesar do seu estado de saúde inspirar já algum cuidado, ainda chegou a assistir à publicação do livro -The World of M. C. Escher.

Faleceu a 27 de Março de 1972 no hospital de Hilversum quando ainda não tinha completado 74 anos.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

SOU UM PROFESSOR QUE PENSA...repassando

SOU UM PROFESSOR QUE PENSA...

Pensa em sair correndo toda vez que é convocado para uma reunião, que

certamente o responsabilizará mais uma vez, pelo insucesso do aluno.

SOU UM PROFESSOR QUE LUTA...

Luta dentro da sala de aula, com os alunos, para que eles não matem uns aos outros.

Que luta contra seus próprios princípios de educação, ética e moral.

SOU UM PROFESSOR QUE COMPREENDE....

Compreende que não vale a pena lutar contra as regras do sistema, ele é sempre o lado mais forte.

SOU UM PROFESSOR QUE CRITICA...

Critica a si mesmo por estar fazendo o papel de vários outros profissionais como: psicólogo, médico, assistente social, mas não consegue fazer o próprio papel que é o de ensinar.

SOU UM PROFESSOR QUE TEM ESPERANÇA,



E espera que a qualquer momento chegue um "estranho" que nunca entrou em uma sala de aula, impondo o modo de ensinar e avaliar.

SOU UM PROFESSOR QUE SONHA...

SONHA COM UM ALUNO INTERESSADO,

SONHA COM PAIS RESPONSÁVEIS,

SONHA COM UM SALÁRIO MELHOR, UM MUNDO MELHOR.



ENFIM, SOU UM PROFESSOR QUE REPRESENTA...

Representa a classe mais desprestigiada e discriminada, e que é incentivada a trabalhar só pelo amor à profissão.

Representa um palhaço para os alunos.

Representa o fantoche nas mãos do sistema concordando com as falsas

metodologias de ensino.

E esse professor, que não sou eu mesmo, mas é uma outra pessoa, representa tão bem, que só não trabalha como ator, porque já é PROFESSOR e não dá para conciliar as duas coisas.
 
 
COLABORAÇÃO DA PROFª. JULIANA - GEÓGRAFA

Fruto do Suor - Raices de América - para o 2º ano EM EE PAULO CHAVES

Fruto do Suor - Raices de América - Composição : Tony Osanah / Enrique Bergen

A terra nova era um paraíso,

o milho alto e os rios puros.

Dormia o ouro a cobiça ausente,

era o índio senhor do continente.

Foram chegando os conquistadores,

os africanos e os aventureiros.

O índio altivo se mesclou ao escravo:

nascia um novo tipo americano.

O interesse fabricou carimbos.

O ódio à toa levantou paredes.

A baioneta desenhou fronteiras.

A estupidez nos separou em bandeiras.



Tenho um filho nessa terra,

foi um amor sem passaportes.

Se o gestar foi brasileiro

não me chames de estrangeiro.

Cada pedra, cada rua tem um toque de imigrantes.

Levantaram com seus sonhos

um país que não tem donos.



O suor fecunda o solo e a semente não pergunta:

Brasileiro ou imigrante? Só o fruto é importante.

Não me sinta forasteiro.

Não me invente geografias.

Sou tua raça, sou teu povo,

sou teu irmão no dia-a-dia.

O Estrangeiro - musica e letra de Caetano Veloso - TAREFA PARA OS ALUNOS DO 2º ANO DO EM DA EE PAULO CHAVES


O Estrangeiro



O pintor Paul Gauguin amou a luz na Baía de Guanabara

O compositor Cole Porter adorou as luzes na noite dela

A Baía de Guanabara

O antropólogo Claude Levy-strauss detestou a Baía de Guanabara:

Pareceu-lhe uma boca banguela.

E eu menos a conhecera mais a amara?

Sou cego de tanto vê-la, te tanto tê-la estrela

O que é uma coisa bela?

O amor é cego

Ray Charles é cego

Stevie Wonder é cego

E o albino Hermeto não enxerga mesmo muito bem

Uma baleia, uma telenovela, um alaúde, um trem?

Uma arara?

Mas era ao mesmo tempo bela e banguela a Guanabara

Em que se passara passa passará o raro pesadelo

Que aqui começo a construir sempre buscando o belo e o amaro

Eu não sonhei que a praia de Botafogo era uma esteira rolante deareia branca de óleo

 diesel

Sob meus tênis

E o Pão de Açucar menos óbvio possível

À minha frente

Um Pão de Açucar com umas arestas insuspeitadas

À áspera luz laranja contra a quase não luz quase não púrpura

Do branco das areias e das espumas

Que era tudo quanto havia então de aurora

Estão às minhas costas um velho com cabelos nas narinas

E uma menina ainda adolescente e muito linda

Não olho pra trás mas sei de tudo

Cego às avessas, como nos sonhos, vejo o que desejo

Mas eu não desejo ver o terno negro do velho

Nem os dentes quase não púrpura da menina

(pense Seurat e pense impressionista

Essa coisa de luz nos brancos dentes e onda

Mas não pense surrealista que é outra onda)

E ouço as vozes

Os dois me dizem

Num duplo som

Como que sampleados num sinclavier:

"É chegada a hora da reeducação de alguém

Do Pai do Filho do espirito Santo amém

O certo é louco tomar eletrochoque

O certo é saber que o certo é certo

O macho adulto branco sempre no comando

E o resto ao resto, o sexo é o corte, o sexo

Reconhecer o valor necessário do ato hipócrita

Riscar os índios, nada esperar dos pretos"

E eu, menos estrangeiro no lugar que no momento

Sigo mais sozinho caminhando contra o vento

E entendo o centro do que estão dizendo

Aquele cara e aquela:

É um desmascaro

Singelo grito:

"O rei está nu"

Mas eu desperto porque tudo cala frente ao fato de que o rei é mais bonito nú

E eu vou e amo o azul, o púrpura e o amarelo

E entre o meu ir e o do sol, um aro, um elo.

("Some may like a soft brazilian singer

but i've given up all attempts at perfection").


O tema da diversidade, que abordamos no primeiro bimestre, tem seu desfecho neste momento com esta letra do compositor baiano Caetano Veloso, na qual ele faz referência a diversos estrangeiros que aqui pelo Brasil tem passado e que deixam suas impressões a respeito de nosso país, alguns falam bem, outros falam mal, mas todos seguem seu caminho de passagem! Na seqüência uma outra letra é da música do grupo Raizes de América chamada "Fruto do Suór", que trata da questâo da miscigenação inter americana!
A proposta de trabalho com estas letras é a seguinte:
1º - identifique na letra as palavras que vc desconhece e faça uma lista com elas;
 2º procure o significado dessas palavras no melhor dicionário que vc puder encontrar ( se for da net, use o Aurélio);
3º - comente sobre o significado de cada palavra e sobre o que vc achava que significasse antes de consultar o dicionário;
Estas são as exigencias da Tarefa! Bom Trabalho!