quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Contexto Histórico: A França no século XVIII - Revolução Francesa

Contexto Histórico: A França no século XVIII

A situação da França no século XVIII era de extrema injustiça social na época do Antigo Regime. O Terceiro Estado era formado pelos trabalhadores urbanos, camponeses e a pequena burguesia comercial. Os impostos eram pagos somente por este segmento social com o objetivo de manter os luxos da nobreza.

A França era um país absolutista nesta época. O rei governava com poderes absolutos, controlando a economia, a justiça, a política e até mesmo a religião dos súditos. Havia a falta de democracia, pois os trabalhadores não podiam votar, nem mesmo dar opiniões na forma de governo. Os oposicionistas eram presos na Bastilha (prisão política da monarquia) ou condenados à guilhotina.
A sociedade francesa do século XVIII era estratificada e hierarquizada. No topo da pirâmide social, estava o clero que também tinha o privilégio de não pagar impostos. Abaixo do clero, estava a nobreza formada pelo rei, sua família, condes, duques, marqueses e outros nobres que viviam de banquetes e muito luxo na corte. A base da sociedade era formada pelo terceiro estado (trabalhadores, camponeses e burguesia) que, como já dissemos, sustentava toda a sociedade com seu trabalho e com o pagamento de altos impostos. Pior era a condição de vida dos desempregados que aumentavam em larga escala nas cidades francesas.
A vida dos trabalhadores e camponeses era de extrema miséria, portanto, desejavam melhorias na qualidade de vida e de trabalho. A burguesia, mesmo tendo uma condição social melhor, desejava uma participação política maior e mais liberdade econômica em seu trabalho.



A Revolução Francesa (14/07/1789)

A situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 14/07/1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.
O lema dos revolucionários era " Liberdade, Igualdade e Fraternidade ", pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês.
Durante o processo revolucionário, grande parte da nobreza deixou a França, porém a família real foi capturada enquanto tentava fugir do país. Presos, os integrantes da monarquia, entre eles o rei Luis XVI e sua esposa Maria Antonieta foram guilhotinados em 1793.O clero também não saiu impune, pois os bens da Igreja foram confiscados durante a revolução.
No mês de agosto de 1789, a Assembléia Constituinte cancelou todos os direitos feudais que existiam e promulgou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos, além de maior participação política para o povo.




Girondinos e Jacobinos
Após a revolução, o terceiro estado começa a se transformar e partidos começam a surgir com opiniões diversificadas. Os girondinos, por exemplo, representavam a alta burguesia e queriam evitar uma participação maior dos trabalhadores urbanos e rurais na política. Por outro lado, os jacobinos representavam a baixa burguesia e defendiam uma maior participação popular no governo. Liderados por Robespierre e Saint-Just, os jacobinos eram radicais e defendiam também profundas mudanças na sociedade que beneficiassem os mais pobres.



A Fase do Terror


Maximilien de Robespierre: defesa de mudanças radicais

Em 1792, os radicais liderados por Robespierre, Danton e Marat assumem o poder e organização as guardas nacionais. Estas, recebem ordens dos líderes para matar qualquer oposicionista do novo governo. Muitos integrantes da nobreza e outros franceses de oposição foram condenados a morte neste período. A violência e a radicalização política são as marcas desta época.



A burguesia no poder

Napoleão Bonaparte: implantação do governo burguês

Em 1795, os girondinos assumem o poder e começam a instalar um governo burguês na França. Uma nova Constituição é aprovada, garantindo o poder da burguesia e ampliando seus direitos políticos e econômico. O general francês Napoleão Bonaparte é colocado no poder com o objetivo de controlar a instabilidade social e implantar um governo burguês.



Conclusão

A Revolução Francesa foi um importante marco na História Moderna da nossa civilização. Significou o fim do sistema absolutista e dos privilégios da nobreza. O povo ganhou mais autonomia e seus direitos sociais passaram a ser respeitados. A vida dos trabalhadores urbanos e rurais melhorou significativamente. Por outro lado, a burguesia conduziu o processo de forma a garantir seu domínio social. As bases de uma sociedade burguesa e capitalista foram estabelecidas durante a revolução. A Revolução Francesa também influenciou, com seus ideais iluministas, a independência de alguns países da América Espanhola e o movimento de Inconfidência Mineira no Brasil.

RIR É UM SANTO REMÉDIO

DIPROMA

O velho fazendeiro está na sala, proseando, quando um menino passa correndo.
Ele chama: - Diproma, fala pa sua avó trazê um cafezinho pra visita!

E o amigo estranha:

- Que nome engraçado tem o menino!!

É seu parente?

- É meu neto!

Eu chamo assim purque mandei minha fia estudá em Belzonte e ela vortô cum ele!



O EMPRESÁRIO E O MINEIRIM!

Um empresário viajava em Minas.

Ao ver um peão tocando umas vacas, parou:

- Pode me informar?

- Claro!

- As vacas dão muito leite?

- Qual o senhor quer saber: as maiáda ou as marrom?

- As malhadas.

- Dá 12 litro!

- E as marrons?

- Tamém 12 litro!

O empresário perguntou:

- Elas comem o quê?

- Qual? As maiáda ou as marrom?

- Sei lá, pode ser as marrons!

- As marrom come pasto e sar.

- Hum! E as malhadas?

- Tamém uai!

O empresário, sem esconder a irritação:

- Meu amigo! Por que que toda vez que pergunto você diz se quero saber das malhadas ou das marrons, sendo que é tudo a mesma resposta?

E o matuto responde:

- É que as maiáda são minha!

- E as marrons?

- Tamém!



________________________________________

 

INDO PARA A PESCARIA...

Os dois mineiros se encontram no ponto de ônibus para pescaria.

- Então cumpade, tá animado?

- Eu tô, home!

- Ô cumpade, pro mode quê tá levano dois embornal?

- Tô levano uma pingazinha.

- Pinga? Nóis num tinha acertado que num ia bebê mais?!

- Pode aparece uma cobra e pica a gente. Aí nóis desinfeta com a pinga e toma uns gole que é pra mode num sinti dô.

- Uai... e na outra sacola, o que qui tá levano?

- Uai, é a cobra, cumpade. Pode num tê lá...



________________________________________

 

MINEIRIM COMPRANDO PASSAGEM

O mineirim vai a estação ferroviária comprar bilhete.

- Quero passage para Esbui.

- Não entendi ! pode repetir?

- Quero uma passage para Esbui!

- Sinto muito, não temos passagem para o Esbui.

Aborrecido, o caipira se afasta do guichê, se aproxima do amigo que o

estava aguardando e lamenta:

- Olha, Esbui, o homem falou que prá ocê não tem passagem não!



________________________________________

 

A PESQUISADORA E O MINEIRIN

Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um sitiozinho.

- Essa terra dá mandioca?

- Não, senhora. - responde o roceiro.

- Dá batata?

- Também não, senhora!

- Dá feijão?

- Nunca deu!

- Arroz?

- De jeito nenhum!

- Milho?

- Nem brincando!

- Aqui não adianta plantar nada?

- Ah! ... Se plantar é diferente...uai!!