segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

PROTESTO INDIGENA AMERICANO NA EUROPA

Um discurso feito pelo embaixador Guaicaípuro Cuatemoc, de ascendência indígena, sobre o pagamento da dívida externa do seu país, o México, embasbacou os principais chefes de Estado da Comunidade Européia

A Conferência dos Chefes de Estado da União Europeia, Mercosul e Caribe, em Madrid, viveram um momento revelador e surpreendente: os Chefes de Estado europeus ouviram perplexos e calados um discurso irônico, cáustico e historicamente exato.


Eis o discurso:

"Aqui estou eu, descendente dos que povoaram a América há 40 mil anos, para encontrar os que a "descobriram" há 500... O irmão europeu da alfândega pediu-me um papel escrito, um visto, para poder descobrir os que me descobriram. O irmão financeiro europeu pede ao meu país o pagamento, com juros, de uma dívida contraída por Judas, a quem nunca autorizei que me vendesse. Outro irmão europeu explica-me que toda a dívida se paga com juros, mesmo que para isso sejam vendidos seres humanos e países inteiros, sem lhes pedir consentimento. Eu também posso reclamar pagamento e juros. Consta no "Arquivo da Companhia das Índias Ocidentais" que, somente entre os anos de 1503 a 1660, chegaram a São Lucas de Barrameda 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata provenientes da América.
Teria aquilo sido um saque? Não acredito, porque seria pensar que os irmãos cristãos faltaram ao sétimo mandamento!
Teria sido espoliação? Guarda-me Tanatzin de me convencer que os europeus, como Caim, matam e negam o sangue do irmão.
Teria sido genocídio? Isso seria dar crédito aos caluniadores, como Bartolomeu de Las Casas ou Arturo Uslar Pietri, que afirmam que a arrancada do capitalismo e a actual civilização europeia se devem à inundação dos metais preciosos tirados das Américas.
Não, esses 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata foram o primeiro de tantos empréstimos amigáveis da América destinados ao desenvolvimento da Europa. O contrário disso seria presumir a existência de crimes de guerra, o que daria direito a exigir não apenas a devolução, mas uma indemnização por perdas e danos.
Prefiro pensar na hipótese menos ofensiva.Tão fabulosa exportação de capitais não foi mais do que o início de um plano "MARSHALL MONTEZUMA", para garantir a reconstrução da Europa arruinada por suas deploráveis guerras contra os muçulmanos, criadores da álgebra e de outras conquistas da civilização.Para celebrar o quinto centenário desse empréstimo, podemos perguntar:
Os irmãos europeus fizeram uso racional responsável ou pelo menos produtivo desses fundos?
Não. No aspecto estratégico, delapidaram-nos nas batalhas de Lepanto, em navios invencíveis, em terceiros reichs e várias outras formas de extermínio mútuo. No aspecto financeiro, foram incapazes - depois de uma moratória de 500 anos - tanto de amortizar capital e juros, como de se tornarem independentes das rendas líquidas, das matérias-primas e da energia barata que lhes exporta e provê todo o Terceiro Mundo.
Este quadro corrobora a afirmação de Milton Friedman, segundo a qual uma economia subsidiada jamais pode funcionar, o que nos obriga a reclamar-lhes, para seu próprio bem, o pagamento do capital e dos juros que, tão generosamente, temos demorado todos estes séculos para cobrar. Ao dizer isto, esclarecemos que não nos rebaixaremos a cobrar de nossos irmãos europeus, as mesmas vis e sanguinárias taxas de 20% e até 30% de juros ao ano que os irmãos europeus cobram dos povos do Terceiro Mundo.
Limitar-nos-emos a exigir a devolução dos metais preciosos, acrescida de um módico juro de 10%, acumulado apenas durante os últimos 300 anos, concedendo-lhes 200 anos de bónus. Feitas as contas a partir desta base e aplicando a fórmula europeia de juros compostos, concluimos, e disso informamos os nossos descobridores, que nos devem não os 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata, mas aqueles valores elevados à potência de 300, número para cuja expressão total será necessário expandir o planeta Terra.
Muito peso em ouro e prata... quanto pesariam se calculados em sangue?

Admitir que a Europa, em meio milénio, não conseguiu gerar riquezas suficientes para estes módicos juros, seria admitir o seu absoluto fracasso financeiro e a demência e irracionalidade dos conceitos capitalistas.*Tais questões metafísicas, desde já, não nos inquietam a nós, índios da América. Porém, exigimos a assinatura de uma carta de intenções que enquadre os povos devedores do Velho Continente na obrigação do pagamento da dívida, sob pena de privatização ou conversão da Europa, de forma tal, que seja possível um processo de entrega de terras, como primeira prestação de dívida histórica..."*


Quando terminou seu discurso diante dos chefes de Estado da Comunidade Européia, Guaicaípuro Guatemoc não sabia que estava expondo uma tese de Direito Internacional para determinar a verdadeira Dívida Externa.



COLABORAÇÃO Dna.ROSE POMPEU - MONARQUISTA

PROTESTO INDIGENA AMERICANO NA EUROPA

Um discurso feito pelo embaixador Guaicaípuro Cuatemoc, de ascendência indígena, sobre o pagamento da dívida externa do seu país, o México, embasbacou os principais chefes de Estado da Comunidade Européia

A Conferência dos Chefes de Estado da União Europeia, Mercosul e Caribe, em Madrid, viveram um momento revelador e surpreendente: os Chefes de Estado europeus ouviram perplexos e calados um discurso irônico, cáustico e historicamente exato.


Eis o discurso:

"Aqui estou eu, descendente dos que povoaram a América há 40 mil anos, para encontrar os que a "descobriram" há 500... O irmão europeu da alfândega pediu-me um papel escrito, um visto, para poder descobrir os que me descobriram. O irmão financeiro europeu pede ao meu país o pagamento, com juros, de uma dívida contraída por Judas, a quem nunca autorizei que me vendesse. Outro irmão europeu explica-me que toda a dívida se paga com juros, mesmo que para isso sejam vendidos seres humanos e países inteiros, sem lhes pedir consentimento. Eu também posso reclamar pagamento e juros. Consta no "Arquivo da Companhia das Índias Ocidentais" que, somente entre os anos de 1503 a 1660, chegaram a São Lucas de Barrameda 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata provenientes da América.
Teria aquilo sido um saque? Não acredito, porque seria pensar que os irmãos cristãos faltaram ao sétimo mandamento!
Teria sido espoliação? Guarda-me Tanatzin de me convencer que os europeus, como Caim, matam e negam o sangue do irmão.
Teria sido genocídio? Isso seria dar crédito aos caluniadores, como Bartolomeu de Las Casas ou Arturo Uslar Pietri, que afirmam que a arrancada do capitalismo e a actual civilização europeia se devem à inundação dos metais preciosos tirados das Américas.
Não, esses 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata foram o primeiro de tantos empréstimos amigáveis da América destinados ao desenvolvimento da Europa. O contrário disso seria presumir a existência de crimes de guerra, o que daria direito a exigir não apenas a devolução, mas uma indemnização por perdas e danos.
Prefiro pensar na hipótese menos ofensiva.Tão fabulosa exportação de capitais não foi mais do que o início de um plano "MARSHALL MONTEZUMA", para garantir a reconstrução da Europa arruinada por suas deploráveis guerras contra os muçulmanos, criadores da álgebra e de outras conquistas da civilização.Para celebrar o quinto centenário desse empréstimo, podemos perguntar:
Os irmãos europeus fizeram uso racional responsável ou pelo menos produtivo desses fundos?
Não. No aspecto estratégico, delapidaram-nos nas batalhas de Lepanto, em navios invencíveis, em terceiros reichs e várias outras formas de extermínio mútuo. No aspecto financeiro, foram incapazes - depois de uma moratória de 500 anos - tanto de amortizar capital e juros, como de se tornarem independentes das rendas líquidas, das matérias-primas e da energia barata que lhes exporta e provê todo o Terceiro Mundo.
Este quadro corrobora a afirmação de Milton Friedman, segundo a qual uma economia subsidiada jamais pode funcionar, o que nos obriga a reclamar-lhes, para seu próprio bem, o pagamento do capital e dos juros que, tão generosamente, temos demorado todos estes séculos para cobrar. Ao dizer isto, esclarecemos que não nos rebaixaremos a cobrar de nossos irmãos europeus, as mesmas vis e sanguinárias taxas de 20% e até 30% de juros ao ano que os irmãos europeus cobram dos povos do Terceiro Mundo.
Limitar-nos-emos a exigir a devolução dos metais preciosos, acrescida de um módico juro de 10%, acumulado apenas durante os últimos 300 anos, concedendo-lhes 200 anos de bónus. Feitas as contas a partir desta base e aplicando a fórmula europeia de juros compostos, concluimos, e disso informamos os nossos descobridores, que nos devem não os 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de quilos de prata, mas aqueles valores elevados à potência de 300, número para cuja expressão total será necessário expandir o planeta Terra.
Muito peso em ouro e prata... quanto pesariam se calculados em sangue?

Admitir que a Europa, em meio milénio, não conseguiu gerar riquezas suficientes para estes módicos juros, seria admitir o seu absoluto fracasso financeiro e a demência e irracionalidade dos conceitos capitalistas.*Tais questões metafísicas, desde já, não nos inquietam a nós, índios da América. Porém, exigimos a assinatura de uma carta de intenções que enquadre os povos devedores do Velho Continente na obrigação do pagamento da dívida, sob pena de privatização ou conversão da Europa, de forma tal, que seja possível um processo de entrega de terras, como primeira prestação de dívida histórica..."*


Quando terminou seu discurso diante dos chefes de Estado da Comunidade Européia, Guaicaípuro Guatemoc não sabia que estava expondo uma tese de Direito Internacional para determinar a verdadeira Dívida Externa.




COLABORAÇÃO Dna.ROSE POMPEU - MONARQUISTA

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

SACANAGEM E FALTA DE EDUCAÇÃO!!!

Ontem pela manhã, eu dirigia o carro de minha esposa no trecho entre a rotatória da hípica e oa rotatória do Três avenidas, quando ao chegar a faixa de pedestres me deparei com um senhor idoso ja em vias de atravessar a faixa.
Até ai , tudo bem, parei e sinalizei para que o velhinho atravessa-se, e ele simpático, fez sinal com o dedo polegar, assim como os romanos faziam quando absolviam os derrotados na arena do coliseu, que nós interpretamos apenas como " legal", e iniciou a travessia...Quase matei o velho , por que, do mesmo modo como cumpri apenas minha obrigação , a de deixa-lo atravessar a rua, um motorista que estava atráz de mim, alinhado , veja bem , entenda a situação! o carro estava atrás do meu e não ao lado. O sujeito dirigia uma Tuckson de placas EES 9154 prata placas de São Paulo, concessionária Caôa , o sujeito pareceu enfurecido pela minha atitude, em esperar o velho passar!e saiu de de trás do meu carro e avançou pelo lado esquerdo , me ultrapassando e pondo em risco a travessia do velho! num claro sinal de desrespeito, falta de educação, prepotência e vou parara com os adjetivos para não perder a linha e cair nos palavrões! Pois bem, sai dali , muito puto! e segui meu caminho, quem encontro logo mais bem na minha frente? o mesmo bacana da Tuckson! ahahahahaha caneta e papel na mão, anotei até a concessionária do mal educado! Esta está sendo minha vingança, saibam que o motorista que dirigia este carro na quinta feira pela manhã, pode ser qualquer coisa na vida, mas educação, respeito, consideração são adjetivos que não lhe pertencem.
Ah! tem mais o sujeito seguiu em minha frente sem poder ultrapassar ninguém zinho até na frente do McDonalds, quando eu o ultrapassei para entrar na prefeitura! tentei ver sua cara de pau, mas ele esconde sua pobreza de espirito atras de vidros com pelicula escura... só podia mesmo.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

VERGONHA! 1968 REVIVIDO EM BRASÍLIA

Assistindo as imagens pela tv ontem a noite não pude deixar de relembrar as imagens que assisti, por videos tbm afinal em 68 eu tinha apenas 4 aninhos, dos arquivos da ditadura militar estabelecida no Brasil a partir de 1964! Ocasião em que a cavalaria invadiu o campus da Universidade de São Paulo, partindo para cima dos estudantes da época entre eles ..._ pasmen_ José Dirceu! - mas... perai!? naquele tempo o governo era autoritário e não de esquerda! naqueles dias a Dilma Housef era terrorista, matava militares que se pusessem em contra ponto ao movimento a liberdade que buscavam através de atos ditos subversivos que hoje podemos ver a luz da história e entendemos que eram atitudes justificadas contra a ditadura capitalista de direta que matava, torturava, mutilava pessoas suspeitas e inocentes. Mas hoje a mesma Dilma Houssef é a Ministra Chefe da Casa Civil, de um governo de esquerda, cujo presidente eleito tambem foi preso politico, tbm sofreu nas mãos daquela ditadura! Nossa! parece que estou bêbado?! Outros nomes me surgem a mente: José Genuino - Guerrilha do Araguaia - José Dirceu, Fernando Gabeira e tenho certeza de que se inquerirmos o elenco que governa o Brasil de hj encontraremos diversas outras pessoas que desempenharam importantes pápeis no resgate de nossa democracia que a duras penas foi alcançada!!! Será? ??????????????????????
Meu Deus do céu protegei os estudantes...na reportagem pude ver cavalos atropelando gente , pisoteando, soldados atirando bombas de gás, balas de borracha, cacetetes...porra, que droga, não posso acreditar, mas é verdade.
Eu tenho um filho de apenas 3.4 anos de idade! e Há tempos tenho escrito, desde que ele nasceu, sobre minha vida, minha história , sobre meus pais, para que quando ele se torne adulto saiba um pouco da história do pais através dos olhos de seu próprio pai, e não apenas pelos livros que podem , e geralmente são, tendenciosos.
Agora me parece que a historia se repete! Sinto vergonha, vergonha vergonha...se não podemos confiar na justiça, na esquerda, naqueles em que votamos pra governar o povo! Vamos confiar em quem?
Só Deus mesmo, temos que orar, orar, orar, orar e orar...
Sr. Presidente Luis Inácio da Silva, onde está o senhor agora? O senhor vai permitir que esse canalha que governa o Distrito Federal use a máquina pública militar contra o povo? Não adianta vir com desculpa tipo: " estamos garantindo ao direito da maioria, de ir e vir!"
Por isso se matar um ou ouotro, não importa, importa garantir o Estado de direito...
Vão a merda! Estamos vivendo um mar de lama, lama de esgoto! Corruptos são flagrados sendo pagos com grandes somas em dinheiro vivo e ainda se acham no direto de plena defesa!
O primeiro código de Leis que se tem noticia era oral, chama-se Código de Taleão e foi a partir dele que se originou o primeiro Código escrito era o Codigo de Hamurabi, dele eram caracteristicos os itens como " olho por oho, dente por dente", ou seja os homens primitivos tinha a noção de que as penas deveriam ser proporcionais aso danos para serem válidas!!!
Mas o homem tecnológico dos nossos dias é diferente, se ampara no código de leis herdado dos romanos, para se safar sempre! nossos legisladores fazem leis para se protegerem qudnop tiverem oportunidade de passarem as mãos em algo de um modo ou de outro... nossa preciso me conter ... estou irado!!! definitivamente não era esse mundo, de modo algum, que eu queria para o meu filho.
Brasil.... que vergonha...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Certidão Eleitoral ELETRÔNICA


Certidão Eleitoral ELETRÔNICA

Você ainda guarda aquelas tirinhas de papel ridículas para comprovar que votou nas últimas eleições?Afinal de contas sem essa comprovação não dá para tirar Passaporte, CTPS, etc. não é mesmo?Pois pode jogar todas as suas tirinhas no lixo!Basta apresentar a Certidão de Quitação Eleitoral que não custa um centavo sequer e que você mesmo imprime em casa.Basta acessar o site abaixo e preencher com os dados que você encontra no seu Título de Eleitor
:http://www.tse.gov.br/internet/servicos_eleitor/quitacao_blank.htm
Gostou, né?Então repasse esta dica...


CONTRIBUIÇÃO DO MEU AMIGO NELSON BRIGATTO

Guitarrista Buddy Guy fez dois shows em São Paulo, no HSBC Brasil, e um em Porto Alegre


Buddy Guy se apresenta em São Paulo e Porto Alegre

Folha Online


Divulgação

Considerado o melhor guitarrista de blues vivo, Buddy Guy se apresentou nesta quinta e sexta-feira (26 e 27) no HSBC Brasil (região sul da cidade de São Paulo).
No domingo (29), ele toca em Porto Alegre (RS). O preço dos ingressos varia de R$ 160 a R$ 320.
Com um estilo único e inconfundível, que serviu de inspiração para outro mito da guitarra, Jimi Hendrix, e tantos outros, Guy é considerado um dos maiores expoentes do chamado Chicago Blues, que se tornou famoso por Muddy Waters e Howlin' Wolf.
Em seus mais de 50 discos, o "Damn Right, I've Got the Blues", com participação especial de Eric Clapton, Jeff Beck e Mark Knopfler, ganhou disco de ouro e vendeu 500 mil cópias e lhe rendeu um prêmio Grammy. A consagração veio com "Feels Like Rain" e "Slippin' In", tornando-o um dos maiores gênios do blues de todos os tempos.
Outros sucessos como "Look on Yonder Wall", "Wacht Yoursel", "Cut You Loose" e "Ain't No Sunshine" devem fazer parte do set list da lenda.Buddy Guy se apresenta em São Paulo e Porto Alegre




Navio vertical -


Primeiro c do mundo explorará o fundo do mar


A estação terá 51 metros de altura e contará com uma parte submersa e outra para fora da água30 de novembro de 2009Foto: BBC Brasil
Um arquiteto francês apresentou publicamente o protótipo do que deve ser o primeiro navio vertical do mundo e que deve possibilitar ao homem uma nova maneira de explorar o fundo do mar. Jacques Rougerie, de 64 anos, diz que sua invenção, uma estação oceanográfica batizada de SeaOrbiter, será realidade "em um futuro próximo".
Ele afirma já ter metade dos 35 milhões de euros necessários para a construção da estrutura, que, ao contrário das atuais estações submarinas, será móvel e poderá navegar pelos oceanos.
"Atualmente, os oceanógrafos só podem mergulhar por curtos períodos de tempo e depois têm de ser trazidos para a superfície. É como se fossem levados para a Amazônia e depois tirados de lá em um espaço de uma hora", comparou. "O SeaOrbiter vai oferecer uma presença móvel permanente com uma janela para tudo o que está abaixo da superfície do mar."
PlataformasSegundo o projeto de Rougerie, a estação terá 51 metros de altura e contará com uma parte submersa e outra para fora da água. Equipamentos de navegação e comunicação ficarão acima da superfície, juntamente com uma plataforma de observação.
Os cientistas viverão debaixo d'água e haverá uma plataforma pressurizada de onde mergulhadores poderão partir em missão. O projeto conta ainda com a consultoria de Jean-Loup Chrétien, o primeiro astronauta da França, que está envolvido no design da estação.
O sistema anti-colisão da estrutura é baseado no que é atualmente utilizado na Estação Espacial Internacional. Rougerie, que dirige um carro-anfíbio, vive e trabalha em um barco e já passou 70 dias em uma expedição submarina, disse que as chances de o SeaOrbiter ser realmente construído "são de 90%".
Um grande estaleiro francês já assinou sua participação no projeto, que também ganhou o apoio do presidente francês, Nicolas Sarkozy.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Dia 27 No Brasil


CPI DOS FANTASMAS? ACESSE:

http://www.jornalistas.blog.br/site/site/artigo_detalhes.php?idArtigo=1202

19 de novembro Dia da Bandeira


HINO À BANDEIRA

HINO À BANDEIRA

Salve lindo pendão da esperança!
Salve símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.
Recebe o afeto que se encerra em nosso peito varonil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito varonil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever,
E o Brasil por seus filhos amados, poderoso e feliz há de ser!
Recebe o afeto que se encerra Em nosso peito varonil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre sagrada bandeira
Pavilhão da justiça e do amor!
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito varonil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

DIA DA BANDEIRA

A Bandeira Nacional, símbolo augusto de nossa Pátria, foi adotada conforme Decreto no 4 de 19 de novembro de 1889, após o Brasil passar a adotar o regime de governo republicano. Não obstante a apresentação de projetos contendo mudanças radicais na antiga bandeira do Império – desenhada pelo francês Jean Baptiste Debret – venceu o bom senso e a tradição, sendo aceita a proposta de Teixeira Mendes, chefe da Igreja Positivista do Brasil, que manteve as cores verde e amarela e ressaltou ao justificar seu projeto que o novo símbolo correspondia a tudo quanto o antigo (do império) tinha de essencial – “Ele lembra, naturalmente, a fase do Brasil-colônia nas cores azul e branco que matizam a esfera, ao mesmo tempo que esta recorda o período do Brasil-reino por trazer à memória a esfera armilar. Desperta a lembrança da fé religiosa dos nossos antepassados e o descobrimento desta parte da América, não por meio de um sinal [...] mas por meio de uma constelação, cuja imagem só pode fomentar a mais vasta fraternidade”. Ficou a Bandeira representada por um losango amarelo em campo verde, tendo no meio a esfera azul-celeste, atravessada por uma zona branca em sentido oblíquo descendo da esquerda para direita com a legenda –“Ordem e Progresso”– inspirada no lema positivista: “o amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”. Dentro da esfera está representado o céu da cidade do Rio de Janeiro, com a Constelação do Cruzeiro do Sul, correspondendo ao aspecto do céu às 8:30 horas do dia 15 de novembro de 1889, dia da Proclamação da República.
Os homens do mar têm no culto à Bandeira a mais rica das tradições navais. É em frente ao Pavilhão Nacional que todos nós, ao abraçarmos a carreira militar, juramos solenemente honrar e defender à pátria com o sacrifício da própria vida. Seja nas mais distantes organizações militares assim como em todos os navios da Armada, a Bandeira Nacional é reverenciada diariamente no cerimonial de içamento pela manhã e arriamento ao por do sol, em uníssono e com o sentimento de profundo respeito.
Em todo ou qualquer lugar do mundo em que se fizer presente a Marinha brasileira, seja com nossos meios navais ou com a presença dos Fuzileiros Navais, lá estará tremulando em local de destaque, a Bandeira do Brasil. Ela representa para todos nós, soldados marinheiros, o símbolo máximo de nossa nacionalidade e o mais brilhante farol que nos encoraja arrostar grandes desafios e transpor as mais variadas dificuldades, visando sempre aprimorar o continuado trabalho em prol da defesa e do desenvolvimento de nossa pátria.
A Cerimônia do Dia da Bandeira, onde reverenciamos em todo Brasil o símbolo máximo de nossa pátria, também é um momento oportuno para renovarmos o compromisso assumido com o Brasil, assim como a esperança de que com trabalho, dedicação e amor, iremos ajudar a construir um futuro cada vez mais próspero para nossa nação.

Fontes de Consulta:
OS SÍMBOLOS NACIONAIS. Presidência da República, Brasília
TRADIÇÕES DO MAR ( USOS, COSTUMES E LINGUAGENS). Serviço de Relações Públicas da Marinha, Brasília- DF, 1987

terça-feira, 17 de novembro de 2009

ÚLTIMA CHAMADA FOTOPOEMAS INAUGURA AMANHÃ!!!

Poeta e Fotografo Inauguram Exposição “Retratos”

Amanhã!!! dia 18 de novembro, ás 19:30h, ocorrerá a inauguração da Exposição de Foto poemas “Retratos”, de autoria do poeta e escritos Limeirense Janjão em conjunto com o fotografo Paulistano Luciano Garcia, na Câmara Municipal de Limeira.

O evento que deve ter a presença de personalidades da política, da cultura, dos movimentos sociais e outros, terá a apresentação de 35 fotos legendadas com versos poéticos, retratando pessoas de diversas partes do Brasil e do Mundo.

A concepção central do trabalho, de acordo com seus autores, é mostrar fotos de pessoas em movimentos, políticos, folclóricos, culturais e cotidianos. Pessoas anônimas e simples, que não fazem parte do cenário de glamour e ibope da sociedade Brasileira, concluí Luciano e Janjão. As fotos apontam o objetivo de mostrar quem constroe este País, são os pobres, simples e que com suas ações sem esperar nada em troca, transformam o feio em belo, o nada em tudo.

Os autores, são militantes políticos há muitos anos. Janjão tem 47 anos, nasceu em Limeira, casado, uma filha e um neto. Atuou no Partido dos Trabalhadores por 25 anos, assessorou Sindicatos e Parlamentares. Tem alguns contos e poemas publicados em coletâneas, revistas e Jornais. Venceu o III Festiafro de Limeira, com a Música em parceria com Wilson Cerqueira, Negro Poeta. Luciano Garcia é fotografo profissional e atua em uma ongs de Direitos Humanos. È solteiro, mora em São Paulo, e vem se especializando em foto reportagens e foto arte nos últimos anos, participando de concursos e montando exposições seguindo temáticas sociais e culturais.

Uma das metas da exposição é procurar interagir com os visitantes. Tanto o olhar do fotografo, como o do poeta, expresso seja na foto, seja nos versos, não é definitivo. Os autores tem como proposta, que cada pessoa ao visitar a exposição, tem vários olhares e varias conclusões sobre o que se esta olhando, este é o segredo da imagem e das palavras, o de propiciar as mais diversas opiniões.

O trabalho dos autores pode ser conferido na rede mundial de computadores: www.garimpandomidia.blogspot.com e http://www.flickr.com/photos/lucianogarcia/ .
VAMOS PRESTIGIAR O TALENTO COM A NOSSA PRESENÇA

Falso Viciado - Herva Doce

Sonzaço, com muita distorção, cozinha e baixo na medida certa com peso, e o vocal inconfundivel e que marcou a Banda Herva doce, o gogó do Renato Ladeira, que tinha tudo p´ra continuar por muiot tempo , mas não aconteceu...
Falso Viciado


Chega de dizer "obrigado" a quem nunca te fez nada
Chega de chamar atenção a quem nunca quis acordar
Chega de cobrar atitudes a quem nunca vai se tocar
Chega de gritar feito louco a quem nunca te escutou
Chega de tentar ajudar a quem sempre quis tomar a sua frente
Chega de sorrir à vontade, se eles sempre servem malhado
Chega de lutar desarmado, se você sempre sai machucado
Chega de olhar com paixão a quem sempre quis te ver derrubado

Não vejo, não escuto e não falo
Estou ligado sonho tudo trocado
Eu jogo e boto tudo a perder
Sou um falso viciado

Chega de trepar por aí, se ninguém vai te dar prazer
Chega de falar de amor, se ninguém está mais afim
Chega de calar tua boca, se eles nunca te deixaram falar
Chega de sonhar acordado, só você pode realizar

Não vejo, não escuto e não falo
Estou trincado, sonho tudo trocado
Eu jogo e boto tudo a perder
Sou um falso viciado

Amante Profissional - Herva Doce

A irrverêcia marcou a curta, porém inesquecível e determinante carreira da Banda Herva Doce, esta letra composta com ironia sobre um garotode programa produziu um efeito engraçadissimo e muito divertido, no auge dos anos 80, junto com Dr. Silvana, Miquinhos e Léo Jaime, formaram o monobloco engraçado do pop rock oitentista. Quem não conheceu , não pode perder a oportunidade de conhecer, mesmo por que,dela só sobraram historias, essas bandas tiveram uma vida muito curta, que é outra carcteristica das bandas desse periodo.


Amante Profissional

Alô?Alô, quem é que tá falando?
É o amante profissional
Como é que você é, hein?
Moreno alto, bonito e sensual
Talvez eu seja a solução do seu problema
Carinhoso, bom nível social
Inteligente e à disposição
Para um relacionamento íntimo e discreto
Realize seu sonho sexual
Pra qualquer tipo de transação
Sem compromisso emocional só financeiro
E o endereço pra comunicação
Prá caixa postal do amante profissional
Amor sem preconceito
Sigilo total,
sexi total
Amante profissional

ERVA VENENOSA - VERSÃO DO HERVA DOCE

Erva Venenosa

Parece uma rosa,
de longe é formosa
E toda recalcada,
alegria alheia incomoda
Venenosa Êh,Êh...
erva venenosa
É pior do que cobra cascavel
seu veneno é cruel
De longe nao é feia,
tem voz de uma sereia
Cuidado, não lhe toque
Ela é má, pode até te dar um choque.
Venenosa ÊH, ÊH...
Erva venenosa
É pior do que cobra cascavel seu veneno é cruel
Se coça como louca
Rachada tem a boca
Parece uma bruxa um anjo mau
Detesta todo mundo
Não para um segundo
Fazer maldade e seu ideal..
Como um cão danado,
Seu grito é abafado
É vil, é mentirosa
Deus do ceu como ela é maldosa
Venenosa ÊH....ÊH...
Erva venenosa.............

HISTORIA DO ROCK NACIONAL ...

Herva Doce foi uma banda de pop rock brasileira da década de 1980. A ideia para criar o grupo surgiu no carnaval de 1982, quando Marcelo Sussekind e Renato Ladeira gravaram quatro músicas "demo" ("Volta Meu Bem", "Ganhei Um Avião", "O Negócio é Relaxar" e "Não Faz Sentido" – esta última, se transformaria posteriormente num grande sucesso na voz de Ney Matogrosso). A "demo" foi apresentada a Fernando Mansur, locutor da Rádio Cidade do Rio de Janeiro, que acabou por incluir "Volta Meu Bem" na programação da rádio. Em seguida, Sussekind e Ladeira assinaram um contrato com a EMI Odeon. Por exigência da gravadora, tiveram de desistir de se apresentar como dupla e montaram uma banda, a qual incluía o baterista Sérgio Della Mônica (que apenas assinou o contrato, mas que nunca se apresentou com o grupo), o baixista e guitarrista Paul de Castro e o baixista Roberto Lly. O primeiro LP do grupo foi lançado em novembro de 1982 tendo como carro-chefe a música "Erva Venenosa" (versão de "Poison Ivy", uma canção de 1959 do conjunto The Coasters, composta por Leiber/Stoller[1]). O grande momento do "Herva Doce" ocorreu em 18 de junho de 1983, quando abriram o show do Kiss no estádio do Maracanã, tendo se apresentado para um público estimado entre 140 e 200 mil pessoas (dependendo da fonte). O grupo também abriu um show do Van Halen no Maracanãzinho. Depois de gravar mais um disco pela EMI, o grupo assinou contrato com a RCA. Nesta época, Paul de Castro e Pena saíram da banda, dando vez para Fred Maciel (bateria e voz). O primeiro LP pela RCA (terceiro do grupo) trazia a faixa-título "Amante Profissional", um grande "hit" nas rádios do Brasil e que originou (numa época pré-MTV) o número recorde de três videoclips por três emissoras de TV diferentes. A banda gravou ainda mais um LP ("Desastre Mental", de 1986), que teve boa recepção por parte da crítica, mas cujas vendas não foram expressivas. Finalmente, após a saída de Fred Maciel, o grupo ainda chegou a lançar um compacto com a música "Faz Parte do Meu Show", escrita por Renato Ladeira e Cazuza, e que acabaria sendo um grande sucesso na voz do último.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Proposta de união do Capitalismo com o Socialismo

Para acomodar adequadamente o Capitalismo com o Socialismo na sociedade brasileira, precisamos primeiramente criar um Instituto de Seguridade Social. Esse Instituto cuidaria da parte socialista estabelecendo um “acabamento social” que envolveria a já existente estruturação capitalista. A partir da criação desse Instituto, nos moldes esclarecidos mais adiante, poderíamos então estruturar todas as demais instituições pelo método capitalista.

Com esse processo, os serviços públicos deixariam de ser custeados pelos impostos embutidos e passariam a ser pagos pelos próprios usuários. Observe que o Brasil já faz uso do método capitalista para aquisição de alimentação, de eletricidade, de telefonia e de água também. Nestas áreas, cada cidadão paga sua própria despesa. O problema é que, se o cidadão não tem dinheiro, ele fica com fome, sem água e sem luz.

Daí a necessidade de um Instituto de Seguridade Social para solucionar esse tipo de problema. O novo Instituto assistiria as áreas já estruturadas pelo método capitalista e as áreas públicas também. O objetivo é envolver, socialmente, a estrutura capitalista já existente e permitir que todos os cidadãos (pobres, ricos, desempregados, etc.) usufruam os serviços essenciais ou públicos independentemente de terem dinheiro ou não. Precisamos, no entanto, manter satisfeita a relação estrutural capitalista de um serviço executado, um pagamento efetuado. Para alcançar esse equilíbrio, o Instituto de Seguridade atuaria como financiador e administrador de dívidas sociais.

O novo Instituto de Seguridade ficaria à disposição dos cidadãos que precisassem de ajuda financeira para custear suas necessidades essenciais. Toda pessoa, que não tivesse dinheiro para pagar a conta do supermercado, a conta de água, luz, hospital ou qualquer outro serviço básico, levaria essas contas para que o Instituto as pagasse. Mas teriam que retribuir com horas de trabalho público e comunitário. No caso da pessoa não ter tempo, para retribuir, poderia apresentar um familiar (companheira(o), filho(a) ou irmão(ã)), para assumir seu lugar na realização de tarefas públicas temporárias.

Com o sistema de retribuição com horas de trabalho público, o Instituto de Seguridade teria meios de pagar qualquer conta e assegurar, a todos, o legítimo direito à subsistência e aos serviços públicos e básicos do país. Com essa medida estabeleceríamos a parcela de amor e de igualdade, a parte socialista da sociedade casando o equilíbrio econômico com a satisfação social.

Note que haveria equilíbrio econômico porque, com a estruturação capitalista em todos os setores, as instituições públicas deixariam de ser “gratuitas” e passariam a ser custeadas pelos próprios cidadãos. Isso as tornaria auto-sustentáveis e conseqüentemente mais responsáveis e eficientes. Por outro lado, também se conseguiria a satisfação social porque, mesmo sem dinheiro, todo cidadão teria acesso aos serviços públicos e básicos do país, (embora precisassem negociar horas de trabalho comunitário com o Instituto de Seguridade Social para não ficar devedor da instituição que o atendeu).

Com este novo sistema, os cidadãos de maiores posses certamente iriam preferir ir ao banco pagar suas contas normalmente porque assim lhes seria mais prático. Mas, os cidadãos de menores posses iriam preferir realizar trabalhos públicos e comunitários a desembolsar dinheiro na hora de pagar suas contas. Até mesmo o cidadão que não dispusesse de tempo, nem de um familiar que pudesse realizar o trabalho comunitário por ele, teria suas contas pagas e ficaria com um débito social junto ao Instituto até uma ocasião oportuna.

O governo não precisa se preocupar com a retribuição dos cidadãos porque, a partir do momento que o ser humano é tratado com o devido respeito, ele também tende a retribuir com o respectivo respeito. Hoje, as espertezas dominam o Brasil porque o governo não cultiva o respeito entre instituições e cidadãos. Além disso, o processo de retribuição com trabalho público não tem como finalidade explorar o cidadão mais pobre. A finalidade real é fazer justiça a todos e aprimorar o comportamento econômico e social da população brasileira.



Socialismo e Sistema Socialista

Socialismo é a denominação genérica de um conjunto de teorias socioeconômicas, ideologias e políticas que postulam a abolição das desigualdades entre as classes sociais. Incluem-se nessa denominação desde o socialismo utópico e a social-democracia até o comunismo e o anarquismo.
As múltiplas variantes de socialismo partilham de uma base comum de tendência sentimental e humanitária.
Para caracterizar uma sociedade exclusivamente socialista é necessário que estejam presentes os seguintes elementos: limitação do direito à propriedade privada, controle dos principais recursos econômicos pelos poderes públicos com a finalidade, teórica, de promover a igualdade social, política e jurídica.

História do Socialismo:
A revolução industrial iniciada na Grã-Bretanha, no século XVIII, estabeleceu um tipo de sociedade dividida em duas classes sobre as quais se sustentava o sistema capitalista: a burguesia (empresariado), e o proletariado (trabalhadores assalariados). A burguesia, formada pelos proprietários dos meios de produção, conquistou o poder político na França, com a revolução de 1789, e depois em vários países. Nessa ocasião o modelo capitalista se afirmou ideologicamente com base nos princípios do liberalismo: liberdade econômica, propriedade privada e igualdade perante a lei. A grande massa da população proletária, no entanto, permaneceu inicialmente excluída do cenário político. Logo ficou claro que a igualdade jurídica não era suficiente para equilibrar uma situação de desigualdade econômica e social, na qual uma classe reduzida, a burguesia, possuía os meios de produção enquanto a maioria da população não conseguia prosperar. Aí então surgiram as idéias socialistas. Nota do editor: os militantes de Esquerda (marxistas, anarquistas, socialistas e comunistas) usam, com um tom meio pejorativo, a expressão burguesia para referir-se ao empresariado; e a expressão proletariado para referir-se aos trabalhadores assalariados.
Um dos primeiros precursores do socialismo utópico (socialismo, na prática, insustentável) foi o revolucionário francês François-Noël Babeuf, que, inspirado nas idéias de Jean-Jacques Rousseau, tentou em 1796 subverter a nova ordem econômica (“burguesa”) por meio de um levante popular. Foi preso e condenado à morte na guilhotina.
A crescente degradação das condições de vida da classe operária motivou o surgimento dos diversos teóricos do chamado socialismo utópico, alguns dos quais tentaram, sem sucesso, criar comunidades e unidades econômicas baseadas em princípios socialistas de inspiração humanitária e religiosa (católica principalmente).
Outro teórico francês importante foi François-Marie-Charles Fourier, que tentou acabar com a coerção, a exploração e a monotonia do trabalho por meio da criação de falanstérios, pequenas comunidades igualitárias que não chegaram a prosperar. Da mesma forma, fracassaram as comunidades fundadas pelo socialista escocês Robert Owen.


Marxismo e anarquismo:
Na metade do século XIX, separaram-se as duas vertentes do movimento socialista que polarizaram as discussões ideológicas: o marxismo e o anarquismo. Ao mesmo tempo, o movimento operário começava a adquirir força no Reino Unido, França e em outros países onde a industrialização progredia.
Contra as formas utópicas, humanitárias ou religiosas, Karl Marx e Friedrich Engels propuseram o estabelecimento de bases que chamaram de “científicas” para a transformação da sociedade: o mundo nunca seria modificado somente por idéias e sentimentos generosos, mas sim, pela luta de classes. Com base numa síntese entre a filosofia de Hegel, a economia clássica britânica e o socialismo francês, defenderam o uso da violência como único meio de estabelecer a ditadura do proletariado (comunismo) e assim atingir uma sociedade justa, igualitária e solidária. No Manifesto comunista, de 1848, os dois autores apresentaram uma previsão de decadência do sistema capitalista e prognosticavam a marcha dos acontecimentos rumo à revolução socialista.
O anarquismo contou com diversos teóricos de diferentes tendências, mas nunca se converteu num corpo dogmático de idéias, como o de Marx. Proudhon combateu o conceito de propriedade privada e afirmou que os bens adquiridos mediante a exploração da força de trabalho constituíam um roubo. Bakunin negou os próprios fundamentos do estado e da religião e criticou o autoritarismo do pensamento marxista. Piotr Kropotkin via na dissolução das instituições opressoras e na solidariedade o caminho para o que chamou de comunismo libertário.
Na Rússia czarista, o Partido Social Democrata foi fundado em 1898, na clandestinidade, mas dividiu-se em 1903 entre o setor marxista revolucionário, dos bolcheviques, e o setor moderado, dos mencheviques. Liderados por Vladimir Lenin, os bolcheviques chegaram ao poder com a revolução de 1917.
As idéias socialistas tiveram bastante aceitação em diversos países das áreas menos industrializadas do planeta. Na maioria dos casos, porém, o socialismo da periferia capitalista adotou práticas políticas muito afastadas do modelo europeu, com forte conteúdo nacionalista.
Fim do "socialismo real" (comunismo): Na última década do século XX chegou ao fim, de forma inesperada, abrupta e inexorável, o modelo socialista criado pela União Soviética. O próprio país, herdeiro do antigo império russo, deixou de existir. Nos anos que se seguiram, cientistas políticos das mais diversas tendências se dedicaram a estudar as causas e conseqüências de um fato histórico e político de tanta relevância. Dentre os fatores explicativos do fim do chamado "socialismo real" da União Soviética destacam-se a incapacidade do país de acompanhar a revolução tecnológica contemporânea, especialmente na área da informática, a ausência de práticas democráticas e a frustração das expectativas de progresso material da população. As explicações sobre o colapso da União Soviética abrangem os demais países do leste europeu que, apesar de suas especificidades, partilharam das mesmas carências.
Socialismo no Brasil: O primeiro partido socialista brasileiro foi fundado em 1902, em São Paulo, sob a direção do imigrante italiano Alcebíades Bertollotti, que dirigia o jornal Avanti, vinculado ao Partido Socialista Italiano.
A fundação do Partido Comunista Brasileiro, em 1922, e seu rápido crescimento sufocaram as dezenas de organizações anarquistas que na década anterior chegaram a realizar greves importantes. Pouco antes da revolução de 1930, Maurício de Lacerda organizou a Frente Unida das Esquerdas.
Proibida a atividade político-partidária durante a ditadura Vargas, o socialismo voltou a se desenvolver em 1945, com a criação da Esquerda Democrática, que em agosto de 1947 foi registrada na justiça eleitoral com o nome de Partido Socialista Brasileiro.
Com o golpe militar de 1964, todos os partidos políticos foram dissolvidos e as organizações socialistas puderam atuar apenas na clandestinidade. A criação do bipartidarismo em 1965 permitiu que os políticos de esquerda moderada se abrigassem na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição consentida ao regime militar, ao lado de conservadores e liberais.
Na segunda metade da década de 1960 e ao longo da década de 1970, os comunistas (socialistas radicais), ao lado de outros setores de oposição ao regime militar, sofreram implacável combate. Professavam idéias comunistas a imensa maioria dos militantes de organizações armadas que confrontaram o regime militar. O lento processo de redemocratização iniciado pelo general Ernesto Geisel na segunda metade da década de 1970 deu seus primeiros frutos na década seguinte, quando os partidos socialistas puderam mais uma vez se organizar livremente e apresentar seus próprios candidatos a cargos eletivos.

Resumo Extraído de EnciclopédiasProjeto Renasce Brasil

Capitalismo ou Socialismo...

Existem pelo menos dois tipos de capitalismos e dois tipos de socialismos sendo utilizados em todo o mundo. Os dois tipos de capitalismos mais utilizados são o Capitalismo Pagão e o Capitalismo Protestante. Os dois tipos de socialismos mais utilizados são o Socialismo ateu (mais conhecido como “científico”) e o Socialismo Católico (mais conhecido como “utópico”). Estas divisões não são muito comentadas no meio acadêmico por razões mais ou menos diplomáticas e anti-religiosas. Mas, na prática, tais divisões existem e fazem muita diferença.
Em termos práticos, o Capitalismo Pagão é utilizado há muito tempo pelos povos que não têm muito compromisso com o princípio de justiça e respeito ao próximo. Já o Capitalismo Protestante, utilizado principalmente pelos países do Primeiro Mundo, nasceu logo após a Reforma Cristã Protestante e, segundo Max Weber, do livro A ética protestante e o “espírito” do Capitalismo, teria surgido com a doutrina calvinista. O Brasil, que não adotou o modelo protestante, continua praticando o Capitalismo Pagão (selvagem): juros altos, salários baixos e preços abusivos.
Nos países de maioria cristã protestante o capitalismo utilizado é o de juros baixos, salários altos e preços justos. Lá, (Estados Unidos, Suécia, Escócia, Finlândia, Noruega, Dinamarca, Inglaterra etc.) o modelo de capitalismo protestante é chamado apenas de Capitalismo. Na verdade, praticamente tudo o que fazem é, em geral, nos moldes protestantes. Talvez, por isso, o povo brasileiro tenha dificuldades para entender a diferença entre o nosso Capitalismo e o Capitalismo do Primeiro Mundo (o protestante).
O Socialismo ateu (“científico”, na linguagem dos marxistas), ficou famoso ao ser adotado pela antiga União Soviética, Cuba, Vietnam, Albânia, Coréia do norte tornando-se, no entanto, mais conhecido como Comunismo. Já o Socialismo Católico (“utópico” na linguagem dos marxistas), é parcialmente utilizado por países europeus de maioria católica (França, Itália, Espanha etc.).
O Capitalismo e o Socialismo, ou a Direita e a Esquerda, ou ainda o Liberalismo e o Comunismo referem-se a conceitos opostos. Mas, numa análise mais detalhada constatamos que podemos, também, considerá-los complementares. Apesar das grandes diferenças os dois lados são representativos e têm suas respectivas finalidades dentro de uma organização social. O Capitalismo1 (associado à direita e ao liberalismo) é inspirado na justiça rígida e na razão enfatizando a recompensa segundo o merecimento individual. Já o Socialismo (associado à esquerda e ao comunismo) é inspirado nas necessidades comuns e no sentimentalismo enfatizando a igualdade independentemente do merecimento individual. Por isso, é natural que existam defensores do conceito socialista e defensores do conceito capitalista numa mesma sociedade.
Sabendo-se que o Capitalismo baseia-se no desejo de liberdade e de justiça (de forma rigorosa e racional), e o Socialismo baseia-se no desejo de igualdade e fraternidade (de forma mais ou menos inclusiva), então não é difícil entender o porquê, de tanto o Capitalismo quanto o Socialismo terem o seu devido lugar numa mesma organização social. O fato de um ser Direita e o outro Esquerda em nada atrapalha desde que fiquem nos seus respectivos lugares. O ideal, na verdade, é dosar o efeito de justiça que está contido no Capitalismo Protestante com o efeito de amor ao próximo que está contido no Socialismo Católico.
A maioria dos brasileiros ainda não sabe, mas o principal motivo que levou o mundo cristão (“mundo ocidental”) a repudiar as nações comunistas foi o fato de proibirem o cristianismo e imporem o ateísmo. As escolas públicas brasileiras, influenciadas pela crendice marxista, não esclarecem esses assuntos aos seus alunos. A própria imprensa nunca teve coragem de dizer ao povo em geral que a guerra fria, entre Estados Unidos e União Soviética era, na verdade, uma guerra fria entre os princípios cristãos e os princípios ateus de origem marxistas. Hoje, já existe liberdade pessoal, social e religiosa na antiga Rússia. O Cristianismo já retornou à nação (principalmente o ortodoxo)2 apesar de parte do povo ainda ser ateísta, (conseqüência da rígida imposição praticada no regime passado).
Se nós, brasileiros, tomarmos como referência os ensinamentos bíblicos, tal como fizeram os principais países desenvolvidos, concluiremos que o princípio de justiça deve vir em primeiro lugar e só depois deve vir o amor envolvendo e preservando a justiça. Portanto, o Capitalismo Protestante, que é baseado na “justiça rígida",3 deve ser a parte estrutural de uma sociedade; deve ser o sustentáculo principal tal qual o esqueleto humano que é propositadamente rígido para dar firmeza e sustentação ao nosso corpo. Já o Socialismo deve ser parte externa, o acabamento "sensível",4 a parte social que envolve a estrutura tal qual a carne, no corpo humano, que é bem mais maleável e igualmente importante na composição do conjunto.
Analise o exemplo a seguir para entender a interação, necessária, entre capitalismo e socialismo: Imagine um prédio em construção, a estrutura de concreto é a parte mais rígida. De fato, ela não é muito simpática, mas é a parte que sustenta o prédio de pé por longos e longos anos. É a estrutura que garante a solidez e a firmeza para que o prédio não caia e nem se desmonte. Já o reboco, com azulejos, mármores, vidros, janelas, ornamentos etc., que envolvem a estrutura (equivalendo ao socialismo), são igualmente importantes porque dão o adequado acabamento tornando o prédio simpático, confortável e acolhedor.
Portanto, se queremos paz e prosperidade, precisamos considerar o Capitalismo Protestante como estrutura econômica e o Socialismo Católico como acabamento social na hora de formular soluções para o Brasil.

CPFL CULTURA MARXISMO SOCIALISMO

ASSISTA AO DEBATE SOCIALISTA SOBRE MARXISMO


http://www.cpflcultura.com.br/video/integra-seminario-internacional-cpfl-cultura-e-boitempo-editorial-crise-do-capital-e

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

REFLECTERE

Ultimatum


“Mandado de despejo aos mandarins do mundo
Fora tu reles esnobe plebeu
E fora tu, imperialista das sucatas
Charlatão da sinceridade e tu, da juba socialista, e tu qualquer outro.
Ultimatum a todos eles e a todos que sejam como eles todos.
Monte de tijolos com pretensões a casa
Inútil luxo, megalomania triunfante
E tu Brasil, blague de Pedro Álvares Cabral que nem te queria descobrir.
Ultimatum a vós que confundis o humano com o popular
Que confundis tudo!
Vós anarquistas deveras sinceros
Socialistas a invocar a sua qualidade de trabalhadores para quererem deixar de trabalhar.
Sim, todos vós que representais o mundo, homens altos passai por baixo do meu desprezo
Passai, aristocratas de tanga de ouro,
Passai frouxos
Passai radicais do pouco!
Quem acredita neles?
Mandem tudo isso para casa, descascar batatas simbólicas
Fechem-me isso a chave e deitem a chave fora.
Sufoco de ter só isso a minha volta.
Deixem-me respirar!
Abram todas as janelas
Abram mais janelas do que todas as janelas que há no mundo.
Nenhuma idéia grande, nenhuma corrente política que soe a uma idéia grão!
E o mundo quer a inteligência nova
O mundo tem sede de que se crie
O que aí está a apodrecer a vida, quando muito, é estrume para o futuro.
O que aí está não pode durar porque não é nada.
Eu, da raça dos navegadores, afirmo que não pode durar!
Eu, da raça dos descobridores, desprezo o que seja menos que descobrir o mundo novo.
Proclamo isso bem alto, braços erguidos, fitando o Atlântico
e saudando abstratamente o infinito.”


Álvaro de Campos - 1917
CONTIBUIÇÃO TEXTUAL RECEBIDA DE MEU AMIGO NELSON BRIGATO

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Dica de Livro

Materia do caderno + da Folha de Saõ Paulo saiu dia 1º de novemvro de 2009 domingo.



Poder de Fogo


Assinada por Murilo de Carvalho, historiador professor aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro da Academia Brasileira de Letras, esta matéria nos conta de como os EUA, tiveram participação maior do que se imagina no processo de emancipação da monarquia brasileira para o república que ca entre nós, muito mais interresava aos EUA doque a monarquia, Leia-se : abertura de novos mercados consumidores... a história com detalhes e profundidade pode ser lida no livro do americano Steven Topik: Comércio e Canhoneiras - Brasil e Estados Unidos na Era dos Impérios ( 1889-87), tradução de Angela Pessoa, Caompanhia das Letras e que com 520pags, custa algo em torne de R$ 63,00.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

VOCÊ ESTÁ CONVIDADO(A) A PARTICIPAR DA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA: RETRATOS- Fotopoemas

Com fotos de Luciano Garcia e frases poéticas de Janjão, RETRATOS é a história de gente em movimento.
Em Movimentos Sociais, Folclóricos e Culturais, Étnicos ou simplesmente, movimentando-se, pelas ruas e estradas da vida. Retratos quer inaugurar um debate, que também não é original, mas tal qual uma foto embolorada, no fundo de uma gaveta, as pessoas insistem em ignorar: são os anônimos e simples que fazem este País.
Eles são poesia pura, real motivo deste trabalho.
De 18 a 27 de novembro de 2009Abertura: 18 de novembro às 19:30hs na Câmara Municipal de Limeira (Rua Pedro Zacarias, 70 -Jd Nova Itália)

Acesse a página do evento no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Event?cid=7171988795655463563&ect=1257392548340719000&uid=7171988795655463563&mt=16

Como despertar a consciência ecológica em quem projeta e constrói o ambiente?


Qui, 05/Nov/2009 18:30 Maurício Andrés Ribeiro


Maurício Andrés Ribeiro - Autor de Ecologizar; Tesouros da Índia para a civilização sustentável; Ecologizando a cidade e o planeta. www.ecologizar.com.br; mandrib@uol.com.br


O que faz um arquiteto projetar prédios que exigem uso intensivo de ar condicionado, que demandam alto consumo de energia, desadaptados do ambiente natural, num clima tropical, num design que desperdiça recursos naturais e que provoca a emissão intensa de gases de efeito estufa?

Resposta: a) Inconsciência sobre os impactos do seu projeto. (b) Inconsciência ecológica. c) Ganância: quanto mais caro o projeto, maior a remuneração do arquiteto. d) atendimento a demandas de clientes inconscientes e) outros.

Qualquer que seja a resposta a essa questão, ela é relevante, pois o projeto e a construção do habitat humano e toda a cadeia produtiva da construção civil demandam muitos recursos naturais e provocam impactos ambientais e emissão de gases de efeito estufa. O IPCC – Painel intergovernamental de mudanças climáticas identificou nesse setor grandes possibilidades para colaborar para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Como despertar a consciência ecológica em engenheiros, arquitetos e urbanistas e demais profissionais que constroem o ambiente? Aventamos sete possibilidades para responder a esta questão:

1. Regulamentar – incluir nos códigos de obras, de edificações urbanas, nos editais e termos de referência para contratação de projetos e de obras, dispositivos que obriguem ou induzam a adoção de projetos ecologicamente sustentáveis, a exemplo do que vem sendo feito em alguns países europeus.

2. Criar incentivos econômicos para estimular o uso de tecnologias, materiais, processos e práticas de construção ecológicas e criar penalizações econômicas para práticas não ecológicas, que levam a alto consumo de energia ou a alta emissão de carbono.

3. Influenciar o mercado - o marketing, a publicidade e a propaganda atuam sobre o inconsciente e excitam o desejo de consumo. Eles também podem promover o desejo por saúde ambiental, bem como a redução da demanda por bens cujo processo de produção é destrutivo, degradador, poluidor, emissor de gases de efeito estufa. Divulgar, premiar e valorizar as boas práticas que levam a um ambiente sustentável.

4. Mudar a formação no nível básico – tanto nas escolas como fora delas, explicitar os impactos causados pela atividade humana em cada profissão, de forma que cada profissional esteja ciente de sua responsabilidade pessoal para o bem estar global.

5. Formar pessoas com valores ecológicos - consolidar uma ética ecológica, na qual a noção de bem estar e de interesse pessoal seja expandida, tornando-se culturalmente aceita a idéia de que o bem estar do ambiente e o bem estar coletivo são pré-requisitos para o bem estar individual. Ainda que as pessoas continuem a se mover por motivos individuais e pessoais, eles estão colocados numa escala que se aproxima do interesse publico e coletivo.

6. Mudar a formação nas escolas de arquitetura e de engenharia – ensinar a arquitetura e a engenharia sustentáveis, o ecodesign e o urbanismo ecologicamente responsável, adequados para uma sociedade com baixa emissão de carbono.

7. Desenvolver e aplicar indicadores para avaliar em que medida o ambiente construído atende a critérios de sustentabilidade e de responsabilidade ecológica. Promover a certificação ecológica de edificações e espaços construídos.
Que outras ações podem despertar a consciência ecológica em arquitetos, urbanistas, engenheiros, administradores e demais profissionais que projetam e constroem o ambiente?

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Idéia inovadora transforma lixo e dejetos em adubo


Por Fernanda B. Müller e Paula Scheidt, do CarbonoBrasil

Duas soluções simples e eficientes prometem resolver o problema dos resíduos seja em áreas urbanas ou rurais, decretando o fim da coleta seletiva nas cidades e do mau cheiro nas suinoculturas.
Seguindo a risca a famosa frase de Lavoisier “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, uma nova tecnologia empregada em um Centro de Processamento de Lixo em construção em Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí em Santa Catarina, promete ser capaz de recuperar 100% os materiais que compõe o lixo, em especial, os resíduos orgânicos, sanitários e plásticos contaminados.
Com a separação dos materiais recicláveis, o sistema permite a obtenção de novas matérias-primas como madeira plástica e, a partir de um processo mecanizado e automatizado de compostagem, gera também adubo. “A tecnologia têm condição de eliminar 100% a necessidade de utilizar os aterros sanitários”, afirma Dirnei Ferri, empresário responsável pela criação do sistema.
O projeto é resultado de uma primeira invenção de Ferri, voltada para a área rural, que trata totalmente os dejetos de suínos. A tecnologia transforma os rejeitos do estado líquido para o sólido e produz um biofertillizante seco, estabilizado, sem cheiro, livre da atração de vetores (como moscas e outros insetos) e de grande valor comercial, ambiental e agronômico.
Lixo urbano
O Centro de Processamento de Lixo, em testes há 10 meses, está previsto para ficar pronto em fevereiro de 2010, podendo receber as cerca de 10 toneladas de lixo domiciliar produzidas diariamente pelos 22 mil habitantes de Ituporanga.
Diferentemente dos aterros sanitários, onde o lixo é enterrado, neste Centro o que chega dos caminhões vai para uma linha de triagem, onde são retirados alguns tipos de materiais recicláveis, e o restante segue para a compostagem, onde será transformado em adubo.
Ferri explica que o sistema não elimina o custo da disposição de resíduos, mas substitui um método no qual ‘paga-se para enterrar e poluir’, por outro no qual ‘paga-se para processar, reutilizar e reciclar’. “No primeiro os prejuízos são imensos, já no segundo os ganhos são imensuráveis”, afirma.
Entre os benefícios da tecnologia estão a descontaminação, a retirada e o encaminhamento para reciclagem de diversos materiais sólidos como vidros, plásticos e metais; e a transformação em composto orgânico dos restos de alimentos, vegetais, papéis contaminados (como o papel higiênico). Ferri alerta, contudo, que ainda é preciso estudar qual seria o melhor uso para o biofertilizante produzido.
O principal ganho do projeto, comemora o inventor, é a retirada dos plásticos filmes que compõe o lixo, como sacos, sacolas de supermercado e embalagens plásticas, que viram matéria-prima para a produção de madeira plástica. Somente em Ituporanga, onde o plástico filme responde por aproximadamente 10% do total do lixo, será possível recuperar 30 toneladas deste material todos os meses.
O Centro também está sendo projetado para reduzir ao máximo o número de pessoas que entra em contato com os resíduos e poderá ser instalado em lugares mais próximos dos locais de geração, pelo seu baixo impacto ambiental, por não gerar mau cheiro e nem permitir a proliferação de vetores.
O processo, patenteado por Ferri, pode ser replicado em qualquer lugar, bastando apenas dimensioná-lo para o tamanho da população e quantidade de lixo gerada. “Isso é possível porque o lixo não é acumulado indeterminadamente como nos aterros sanitários, depois do primeiro ciclo, que leva 45 dias, a mesma quantidade que entra, sai diariamente para os processos de reutilização, aproveitamento e reciclagem”, explica Ferri.
Resíduo rural
O processo de compostagem também é a base do sistema de manejo de dejetos suínos desenvolvido por Ferri, que de tão eficiente em resolver o problema lhe rendeu no início do ano o Prêmio Fritz Muller na categoria Agricultura Sustentável, promovido pela Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) para reconhecer os principais projetos e trabalhos na área ambiental desenvolvidos no estado.
Tradicionalmente, as fazendas de suínos contam com uma esterqueira para armazenar os dejetos, um processo altamente impactante ao meio ambiente devido aos riscos de contaminação de rios, lençol freático e solo e à emissão de metano, gás do efeito estufa 21 vezes mais potente para causar o aquecimento global que o dióxido de carbono (CO2). Além disso, sem o tratamento adequado, estes dejetos criam vetores de doenças e exalam um odor extremante forte.
No caso da granja de Pomerode, também no Vale do Itajaí, quatro mil suínos são criados, gerando 28 toneladas por dia de dejetos. Estes resíduos são conduzidos por canos até um galpão dividido em leiras contendo serragem. Por aspersão, os dejetos são distribuídos ao longo das leiras, misturados e aerados por um maquinário desenhado para este processo.
O composto orgânico resultante deste processo é altamente rico em nitrogênio, potássio e fósforo (NPK), sendo de grande valia tanto para a fertilização do solo, como para a geração de renda para os suinocultores.
Segundo Ferri, se não fosse por este projeto, atualmente a fazenda visitada estaria fechada, pois não teria área suficiente para a aspersão dos efluentes gerados. “Somente para espalhar esta quantidade de dejetos, seriam necessários no mínimo 200 hectares de área agricultável, volume de terras inexistentes para esta finalidade no município ou na região”, explica.
Conforme dados da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Santa Catarina conta hoje com cerca de 6,2 milhões de cabeças de suínos, que geram aproximadamente 43.200 metros quadrados (o equivalente a seis campos de futebol) de dejetos todos os dias, totalizando mais de 15 milhões de metros quadrados por ano (cerca de 2100 campos de futebol).
“Se esta tecnologia fosse implantada para todos os suínos do estado, seriam gerados anualmente 1,24 milhões de toneladas de biofertilizante e, pela não geração de metano, deixariam de ser emitidas cerca de 3,1 milhões de toneladas equivalentes de CO2”, afirma Ferri. O custo aproximado por cada animal em uma propriedade de mil suínos é de R$ 80 a R$ 90, o que pode variar de acordo com as condições de cada propriedade.A produção de resíduos é inevitável em qualquer atividade, seja ela urbana ou rural. Com rebanhos de animais cada vez maiores e uma produção média de lixo na casa das 230 mil toneladas diárias, fechar o ciclo é fundamental para garantir a qualidade ambiental, o equilíbrio econômico e benefícios sociais.

Envolverde/CarbonoBrasil) © Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída. (

Desenvolvido por AW4 Tecnologia

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Serra assina projeto para oferecer internet mais barata


Serra assina projeto para oferecer internet mais barata

Em 2008, aproximadamente 18 milhões de domicílios no Brasil possuíam pelo menos um computador. Esse é um dado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no mês passado. Apenas 24% dessas residências com computador estavam conectadas à internet.No que diz respeito ao Estado de São Paulo, o número de residências conectadas tende a aumentar. Segundo matéria divulgada pelo portal UOL, o governador José Serra assinou, no dia de ontem, um projeto que visa oferecer internet banda larga com preços mais baixos para pessoas com uma renda não tão favorável. O projeto intitulado “Banda Larga Popular” tem como objetivo principal a expansão do serviço e o incentivo ao acesso à rede.O preço foi estipulado, no máximo R$ 29,80 por mês. As empresas que oferecem o serviço banda larga e optarem por aderir a essa campanha terão isenção do ICMS, que antes era de 25%. O serviço vai oferecer conexões de 200 Kbps até 1 Mbps, sem limite de horário ou tráfego de dados. O Governo espera contar com parceria de operadoras de banda larga fixa e móvel. Por enquanto, apenas a Telefônica deu sinal verde para essa promissora parceria.A empresa pretende vender pacotes de 250 Kbps, com permanência mínima de 12 meses, a partir de 9 de novembro, por R$ 29,80. Um nota oficial será enviada confirmando os dados. Vale ressaltar que o pacote de internet rápida mais barato que a Telefônica oferece hoje é o Speedy 500, no valor R$ 49,90 ao mês. Das operadoras de telefonia móvel, a Vivo confirmou que vai fazer parceria com o Governo.Fã confesso e frequentador assíduo do Twitter, principalmente durante as madrugadas, o governador Serra afirmou em um de seus posts que a meta é atingir 2,5 milhões de pessoas com a banda larga. “Nossa meta é conectar metade das residências paulistas”, afirmou.
TAGs:
Governo

Poesia toma conta da periferia de São Paulo

Cooperifa

Na definição mais fiel da palavra, a poesia é uma das sete artes tradicionais, uma linguagem humana que transcende o emocional das pessoas, por meio do uso das palavras. O caráter emotivo e sensível das poesias traz alguns pré-conceitos errôneos. Quem nunca ouviu a frase “Poesia é coisa de mulherzinha”. Nada disso. A poesia não permite rótulos, ela não é segmentada ou direcionada, ela é de todos.A partir desse conceito, Sérgio Vaz, produtor cultural e poeta, criou a Cooperativa Cultural da Periferia ou simplesmente Cooperifa. O objetivo do movimento é levar cidadania para as pessoas da periferia da capital de São Paulo, através da literatura, e assim incentivar na comunidade a prática da leitura.O espaço escolhido para os encontros? O bar Zé Batidão, localizado no bairro Chácara Santana, periferia do extremo sul da capital. “Escolhemos esse bar porque era o único lugar público do bairro. Muitos aqui queriam mudar do bairro, mas resolvemos mudar o bairro. Então se queremos algo, nós mesmos podemos fazer”, disse Sérgio.Poesia e cinema na lajeFutebol? Música? Que nada. Os moradores comparecem ao bar Zé Batidão para participarem de saraus de poesia. Sérgio Vaz explica o porquê da escolha pela poesia, como fonte de disseminação da cultura no bairro. “Sou poeta e leio desde criança. Inclusive, escrevi meu primeiro livro em 1988. Então eu pensei que meus leitores estão primeiramente no meu bairro. Se eles não lerem o que eu escrevo, quem irá ler?”, indagou.O sucesso foi imediato. Os saraus acontecem sempre às quartas-feiras, das 21h às 23h. Com picos de 400 pessoas, os encontros recebem, em média, 250 apaixonados por esse gênero lírico. O perfil das pessoas presentes é diversificado. Crianças, adolescentes, adultos e idosos prestigiam os encontros poéticos, onde a “ordem” é recitar, com muita alegria e simplicidade. Outro projeto interessante da Cooperifa é o Cinema na Laje, que acontece também no bar do Zé Batidão. A ideia é levar aos moradores documentários e filmes “não hollywoodianos”, com a intenção de aproximar a ficção com a vida real deles. A pipoca é gratuita. Para dar um charme a mais, um lanterninha vestido a caráter participa desse “show” de cidadania e cultura.Mas será que os jovens se interessam, de fato, por poesia? Com a palavra, Sérgio Vaz. “Eles aceitam bem sim. A Cooperifa faz saraus todas as terças em escolas estaduais e municipais. Temos que mostrar a eles que a literatura é uma arte como a música. Eles são bombardeados todos os dias com poesia, através de raps, sambas e outros gêneros musicais, mas acabam nem percebendo. A poesia está no campo de futebol, em todo lugar. “A intenção é mostrar isso a eles e partir disso, usar a palavra para fazer com eles cheguem ao livro”, afirmou.II Mostra Cultural da CooperifaNo ano da comemoração do oitavo aniversário da Cooperifa, quem ganha o presente são os moradores do bairro e demais interessados por literatura, dança, cinema, teatro, música, saraus, feira de livros, exposições e debates. Trata-se da II Mostra Cultural, que acontecerá entre os dias 19 e 25 de outubro. A programação completa das atividades, bem como os locais, pode ser encontrada aqui: VejaA II Mostra Cultural é totalmente gratuita. Quinze escolas já estão agendas para participar. Sérgio Vaz resume a importância de um evento desse porte. “A intenção é levar mais cultura à periferia. Trazer o teatro para cá. Trazer a dança para cá. Enfim, estamos criando as oportunidades. As pessoas aqui da periferia tem que descobrir as coisas, sem sair da quebrada”, sintetizou.
Para conhecer mais o trabalho da Cooperifa e ficar por dentro de todos os eventos, acesse: Cooperifa

TAGs: Cultura

O Quinto dos Infernos

O Quinto dos Infernos

28/10/2009 - 00:00 - Autor: Redação JL

Lá pelo século 18, por volta de 1720, o rei de Portugal baixou decreto estabelecendo que de tudo quanto se produzisse no Brasil, então colônia, um quinto, ou seja, 20%, deveria ser entregue para a Coroa Portuguesa como tributo. Tal medida, que visava principalmente à produção mineral, ouro e pedras preciosas, foi considerada extremamente impopular, mesmo pelos portugueses que moravam no Brasil, e daí a expressão "quinto dos infernos", pois o imposto, para os donos de minas, era algo tão infernal que alguns militares do exército colonial, profissionais liberais e até mesmo donos de minas, começaram a pensar em uma forma de se livrar de um governo tão oneroso e tais pensamentos acabaram estimulando o surgimento da Inconfidência Mineira.
O Produto Interno Bruto Brasileiro atualmente se situa entre os dez maiores do mundo, geramos muito mais riqueza aqui do que diversos outros países cuja qualidade de vida é bastante superior e cujos índices de desenvolvimento humano são bem melhores do que o nosso. Por que, tendo uma economia tão rica, ainda vemos tanta miséria no País? Bem, uma das razões está exatamente nos dois quintos dos infernos que agora pagamos aos nossos governantes. A carga tributária brasileira se aproxima de 40%, ou seja, de tudo o que é produzido no Brasil, praticamente dois quintos vão para os governos federal, estadual e municipal. Além disso, o déficit público é gigantesco, pois os gastos do governo não param de crescer. O custo das obras públicas é astronômico e quem deveria fiscalizar, não o faz. O cidadão paga altos impostos sem perceber, não nota que em um pacote de biscoitos ou em um litro de refrigerante ou de combustível estão embutidos impostos acima de um quinto do preço do produto, e não percebe que tem que pagar por educação, saúde e segurança privadas, pois o serviço público é de péssima qualidade, a corrupção campeia e a criminalidade explode.
Na minha primeira viagem aos EUA, na década de 70, morei perto de Chicago e acabei conhecendo um cidadão cujo tio-avô havia sido um mafioso nos anos 40. O ex-mafioso, pelo menos assim se declarava, relatou que lá existe corrupção, contou que a Máfia pagava um determinado prefeito para que a polícia local não incomodasse os negócios de prostituição e bebidas. Porém, certo dia descobriram que o tal prefeito estava superfaturando uma obra, pegando comissão de uma empreiteira que fazia uma estrada com má qualidade, daquelas que desmancham na primeira chuva. Aí, a Máfia "sumiu" com o prefeito, nunca mais ninguém teve notícias dele. Antes, porém, o prefeito e os vereadores receberam a advertência: "Nós já pagamos vocês para que nos deixem em paz, não há razão para vocês roubarem o povo. Tratem de fazer as obras corretamente". Como se pode ver, lá a população arca com um quinto de um inferno que, embora corrupto e criminoso, não rouba tanto do povo. Já por aqui, arcamos com dois quintos de um inferno onde traficantes não estão dispostos a disciplinarem os políticos e políticos não estão dispostos a acabar com a criminalidade.

Celso Leite
ADMINISTRADOR, CONSULTOR DE EMPRESAS, PROFESSOR E TRADUTOR JURAMENTADO

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Gente Morre de Fome - Somos parte da Fauna do Planeta

Prezados, Segue um artigo para leitura e eventual publicação, agradeço antecipado pelo apoio.
Imagens pode ser obtidas em: http://www.planetavoluntarios.com.br/divulgue-essa-ideia Após publicação em seu veículo, avise-nos, para que possamos colocá-lo na seção de imprensa.
Voluntários voluntarios@sercomtel.com.br
Artigo: VOCÊ SABIA QUE...
Mais de um bilhão de pessoas no mundo vive com menos de um dólar por dia; - Cada dia, morrem, por causa da fome, 24 mil pessoas. 10% das crianças, em países em desenvolvimento, morrem antes de completar cinco anos... - um terço da população é mal alimentado e outro terço está faminto. - Que a cada dia 275 mil pessoas começam a passar fome ao redor do mundo. O Brasil é o 9º pais com o maior número de pessoas com fome... - Atualmente, cerca de 1,2 bilhão de pessoas se encontra no estado de alta pobreza devido às condições climáticas de suas regiões. Você Sabia? - Mais de um bilhão de crianças, a metade dos menores do mundo, é castigado pela pobreza, as guerras e a Aids; - Todos os dias, o HIV/AIDS mata 6.000 pessoas e infecta outras 8.200 . - Todos os anos, seis milhões de crianças morrem de má nutrição antes de completar cinco anos. - Cerca de 90 mil crianças e adolescentes são órfãos no Brasil, à espera de uma adoção. - a escassez de água já atinge 2 bilhões de pessoas. Esse número pode dobrar em 20 anos... Você Sabia? - Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem teto; - No Brasil, são 33,9 milhões de pessoas sem casa. Só nas áreas urbanas, são 24 milhões que não possuem habitação adequada ou não têm onde morar. - Que vinte e cinco milhões de pessoas são dependentes de drogas no mundo; - Que os indígenas continuam a ser vítimas de assassinatos, violência, discriminação, expulsões forçadas e outras violações de direitos humanos. Você Sabia? - Mais de 2,6 bilhões de pessoas não têm saneamento básico e mais de um bilhão continua a usar fontes de água imprópria para o consumo.- Cinco milhões de pessoas, na sua maioria crianças, morrem todos os anos de doenças relacionadas à qualidade da água. - No mundo inteiro, 114 milhões de crianças não recebem instrução sequer ao nível básico e 584 milhões de mulheres são analfabetas. Você Sabia? - Que é gasto 40 vezes mais dinheiro com cosméticos do que com doações... - é gasto 10 vezes mais dinheiro com armas do que com educação básica; - O Brasil é campeão mundial de desmatamento. Em segundo lugar está a Indonésia: 18,7 km2 por ano e, em terceiro, segue o Sudão, com 5,9 km2. - O país perdeu um campo de futebol a cada dez minutos na Amazônia, nos últimos 20 anos. ..Agora você já sabe. E vai ficar aí parado? Tome uma atitude. Milhões de Pessoas em Pobreza Extrema Precisam da sua Ajuda!
Seja Voluntário você Também!
Planeta Voluntários
Porque ajudar faz bem!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Biblioteca Virtual Grátis !!!

Uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre, mas que está prestes a ser desativada por falta de acessos. Imaginem um lugar onde você pode gratuitamente: · Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ; · Escutar músicas em MP3 de alta qualidade; · Ler obras de Machado de Assis ou a Divina Comédia; · Ter acesso às melhores historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA · e muito mais.... Esse lugar existe! O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso,basta acessar o site: www.dominiopublico.gov.br Só de literatura portuguesa são 732 obras! Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura. Divulgue para o máximo de pessoas!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Dia de Cão no Canil Kairóz

Foi um sucesso o Primeiro Dia de Cão organizado pelo meu amigo Mauro Seabra e sediado em sua belíssima chácara no ultimo domingo dia 25 de outubro. Foi muito legal, evento super baca que agregou crianças como meu filhote de 3 anos de idade ( que participou tão intensamente das atividades que quando entramos no carro , desmaiou) até pessoas de idade avançada , na faixa dos 70 e tantos anos de idade, num exemplo raro de interação, participação e diversão. Confesso que nunca havia participado de um evento no gênero, no entanto, posso afirmar que nossos amigos que não puderam estar presentes perderam um evento fantástico. Teve de tudo , dentro da proposta, sorteio de brindes , venda de filhotes de diversas raças, exibição dos cães treinados da Guarda Municipal de Piracicaba ( parabéns especial), Show de Agility, participação de cães das pessoas que foram ao evento ( eu nenhum dos meus cães pra não privilegiar ninguém, certo). Gente os animais não brigam! não se estranham! é incrivel. Ah! não posso deixar de falar também da presença da empresa Familia Unida que garantiu , doces, salgados, petiscos refrigerantes e Chope gelado claro e escuro, numa organização e entrosamento muito bons.

Parabéns ao Mauro , a sua esposa Lilian e seus filhos Joe, Léo e Lia, pelo exemplo de união e amor familiar. Estou aguardando o próximo com saudades!!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

MEIO AMBIENTE INTEIRO - ECO CHATO

1 Não há nada de errado em tomar água “torneiral”! Saiba que ela é bem tratada antes de chegar a sua casa. Melhor que ter incômodos garrafões é instalar um purificador na torneira. O consumo de água engarrafada envolve o transporte em veículos a diesel.

2 Usar a mangueira de água para varrer a calçada, a chamada "vassourinha hidráulica", por 15 minutos, desperdiça 280 litros de água. Mais sensato é pegar a vassoura, juntar a sujeira, recolher com a pá e só depois enxaguar o chão.
3 Não deixar que as torneiras fiquem pingando inutilmente é economia líquida e certa de água e de dinheiro.
4 Pensar com carinho na possibilidade de colocar acumuladores de energia solar e de coleta de água das chuvas em sua casa pode ser um bom investimento para você. E um alívio para o planeta.
5 Identificar vazamentos em casa não é tarefa difícil. Fechando as torneiras e interrompendo o consumo é possível observar se os indicadores do hidrômetro continuam girando. Se estiverem, você está desperdiçando dinheiro e água.
6 Assim como escovar os dentes ou fazer a barba com a torneira aberta, ensaboar a louça com água limpa escorrendo na pia é puro desperdício.
7 Uma boa saída para economizar água é fazer uso de aeradores, aquelas peneirinhas instaladas nas torneiras e até no chuveiro. Eles introduzem ar proporcionando sensação de maior vazão e um fluxo mais intenso, mas diminuindo o consumo de água.
8 Existem diversas opções para lavar o carro a seco. Algumas são até mais baratas do que a tradicional, que consome centenas de litros do precioso líquido. Lavar menos o carro também ajuda a economizar água.
9 Para tornar a dica acima ainda mais eficiente, reduzir a pressão da água por meio do registro também contribui para baixar o consumo e diminuir o valor da conta no final do mês.
10 Anotar em um diário ou agenda o gasto mensal de água permite controlar melhor o consumo e, depois de um ano, rever e corrigir seus hábitos e os da sua família em casa. Isto também vale para as contas de energia elétrica.
11 Vasos sanitários com caixa acoplada utilizam 6 litros de água por descarga em vez dos mais de 20 litros das válvulas de parede convencionais. Modelos mais modernos trazem ainda um duplo botão para 3 e 6 litros, que podem ser acionados de acordo com a necessidade.
12 Aquela água que sai da máquina depois da lavagem de roupas pode ser reaproveitada para lavar a área de serviço.
13 Despejar restos de tintas, vernizes, inseticidas e outros produtos químicos no vaso sanitário ou no ralo contamina a água e dá um trabalhão para as companhias de saneamento. Se sobrar, doe. Pontas de cigarro, preservativos e absorventes podem até entupir encanamentos.
14 Você sabia que molhar jardins e plantas pela manhã ou ao entardecer evita perda de água pela evaporação? E que nos dias mais frios pode-se aguá-las dia sim, dia não, sem deixar que elas morram de sede?
15 Vizinhança Sustentável
Instalando medidores individuais de água é possível incentivar a redução do consumo. Investir na construção de cisternas facilita a captação e o aproveitamento da água das chuvas.

Fonte: Site da Editora Abril: http://planetasustentavel.abril.com.br/manual/
Comunicação Social/Meio Ambiente
22/10/09