sexta-feira, 27 de abril de 2012

MAX WEBER (1864-1920)


O sociólogo Alemão Maximillian Weber nasceu em Erfurt, 21 de Abril de 1864e f Faleceu em Munique, 14 de Junho de 1920.
Foi um intelectual alemão, jurista, economista e considerado um dos fundadores da Sociologia.
Seu irmão foi o também famoso sociólogo e economista Alfred Weber. A esposa de Max Weber, Marianne Weber, era socióloga e historiadora do Direito.

Começou sua carreira acadêmica na Universidade Humboldt, em Berlim e, posteriormente, trabalhou na Universidade Albert Ludwigs, de Freiburg, na Universidade de Heidelberg, na Universidade de Viena e na Universidade de Mônaco.
Personagem influente na política alemã da época, foi consultor dos negociadores alemães no Tratado de Versalhes (1919) e da Comissão encarregada de redigir a Constituição de Weimar.


A Contribuição Sociológica de Max Weber

Se para Durkheim o fato social era o objeto de estudo da Sociologia, Para Weber o objeto de estudo da sociologia se constituía na ação social. Segundo esse autor: A Sociologia (...) significa: uma ciência que pretende compreender interpretativamente a ação social e assim explicá-las causalmente em seu curo e em seus efeitos.

Por aça entende-se, neste caso, um comportamento humano (...) sempre na medida em que o agente ou os agentes se relacionem com um sentido subjetivo. (WEBER.2004,p.3)

A ação social por sua vez, significa uma ação que, quanto ao seu sentido visado pelo agente ou os agentes, se refere ao comportamento de outro, orientando por este em seu curso” (WEBER.2004,p.3)

 
A ação social pode ser :

Referentes a fins – por expectativas quanto ao comportamento de outras pessoas, utilizando essas expectativas como condições ou meios para alcançar determinados objetivos.

Referente a valores – orientada pela crença consciente no valor ético, religioso

De modo afetivo emocional – por afetos ou estado emocionais

De modo tradicional – por costume arraigado

Por conta dessa preocupação explicativa sobre a ação social, Marx Weber é considerado o criado de uma sociologia conhecida como sociologia compreensiva, ou seja, uma sociologia que busca compreender as motivações individuais que impulsionam determinadas ações sociais.

 

Outros Conceitos Fundamentais

Relação Social – Comportamento reciprocamente referido quando ao seu conteúdo de sentido por uma pluralidade de agentes e que se orienta por essa referência.
A relação social denomina-se relação associativa quando e na medida em que a atitude na ação social repousa num ajuste ou numa união de interesses racionalmente motivados.

Associação – É uma relação social fechada para fora ou cujo regulamento limita a participação quando a observação de sua ordem está garantida pelo comportamento de determinadas pessoas, destinado particularmente a esse propósito de um dirigente e , eventualmente, um quadro administrativo que, dado o caso, têm também condições normais de poder e representação.

Uma associação pode ser autônoma ou heterônoma – Autonomia significa, em oposição à heterônoma, que a ordem da associação não é estatuída por estranhos, mas pelos próprios membros enquanto tais.

Autocefalia – significa que o quadro administrativo da associação é nomeado segundo a ordem da associação e não por estranhos, como é o caso da heterocefalia.

PODER E DOMINAÇÃO : Razões internas que justificam a dominação:

“Inicialmente, a autoridade do passado eterno, ou seja, dos costumes santificados pela validez imemorial e pelo hábito, enraizado no homens, de respeitá-los. Assim se apresenta o poder tradicional, que o patriarca ou o senhor de terras exercia antigamente.” (Weber, 2003, P.61)

“Em segundo lugar, existe a autoridade que se baseia em dons pessoais e extraordinário de um individuo (carisma) . .. “

“Existe a autoridade que se impõe pela legalidade, pela crença na validez de um estatuto legal e de uma competência positiva, estruturada em regras racionalmente estabelecidas” (weber, 2003, p.61) (Servidor do Estado)

“A dominação organizada necessita, por um lado, de um Estado- maior administrativo e, por outro, necessita dos meios materiais de gestão. ( controle de bens materiais e força física)p.63

“Representando exatamente a organização de dominação política, assim como aliás qualquer outra organização, o estado-maior administrativo não se inclina a obedecer ao detentor do poder motivado apenas pelas concepções de legitimidade anteriormente discutidas .Antes de tudo, baseia-se a obediência em duas espécies de motivo que se relacionam a interesses pessoais: retribuição material e prestígio social”(Weber ,2003, p.63)


Por: Jesus Marmanillo Pereira

Fonte: http://manguevirtual.blogspot.com.br/2010/09/max-weber-1864-1920.html


Max Weber

ÉMILE DURKHEIM (1858-1917)

ÉMILE DURKHEIM (1858-1917)

Por Jesus Marmanillo Pereira

Filho de judeus, David Émile Durkheim nasceu em Épinal, departamento de Vosges, que fica exatamente entre a Alsácia e a Lorena, em 15 de abril de 1858. Foi para Paris estuda no Liceu Louis Le Grand o que lhe permitiu entrar, com 21 anos, na École Normale Superieure, onde se doutorou em filosofia.

Durante os anos em que ensinou Filosofia em vários Liceus da província (Sens, St Quentin, Troyes), volta seu interesse para a Sociologia. A França, apesar de ser, num certo sentido, a pátria da Sociologia, não oferecia ainda um ensino regular dessa disciplina, que sofreu tanto a reação antipositivista do fim do século como uma concepção de que a sociologia constituía uma forma cientifica de socialismo.( Rodrigues,2001)

Para se aprimorar nessa área ainda não institucionalizada na França, Émile Durkheim partiu para a Alemanha onde fortaleceu-se com os estudos de autores importantes entre o quais destaca-se Georg Simmel - autor das questões fundamentais de Sociologia. Retorna a França onde passa a ministrar aulas de pedagogia e Ciência Social na Faculté de Lettres de Bordeaux entre 1887 e 1902.

Segundo Rodrigues (2001) na adolescência o jovem David Émile Durkheim presenciou uma série de acontecimentos que marcaram decisivamente todos os franceses em geral e a ele próprio em particular: a 1° de setembro de 1870.
A derrota de Sedan; a 28 de janeiro de 19871, a capitulação diante das tropas alemãs; de 18 de março a 28 de maio, a insurreição da Comuna de Paris; a 4 de setembro,a proclamação da que ficou conhecida como a III República, com a formação do governo provisório de Thiers até a votação da Constituição de 1875 e a eleição do seu primeiro presidente(Mac Mahon).
Por outro lado a vida de David Émile Durkheim é marcada pela disputa franco- alemã: em 1871, com a perda de uma parte da Lorena, sua terra natal tornou-se uma cidade fronteiriça; com o advento da primeira guerra mundial, ele partiu para o front.

Muitos consideram que, a instabilidade política (de um vazio moral)e as grandes mudanças desse período podem ser interpretadas como fatores que impulsionaram esse grande sociologia a buscar entender a sociedade de sua época.

Principais obras : A divisão do trabalho social (1893), As regras do método sociológico (1895), O suicídio (1897), A educação moral (1902), As formas elementares da vida religiosa (1912) e - Lições de Sociologia (1912).

Contribuições Sociológicas

Se Augusto Comte foi o primeiro a formular alguns princípios e o termo Sociologia, Émile Durkheim foi o primeiro a elaborar um método e um objeto próprio, por isso é considerado o pai da Sociologia Moderna.
Para Durkheim os fenômenos sociais deveriam se entendidos e analisados de acordo com explicações pautadas em regularidades e exclusivamente em aspectos sociais, descartando assim modelos explicativos influenciados por outras ciências como, por exemplo, a física, química e/ou matemática.
Na obra Divisão do Trabalho social (1985) esse autor afirma que de todos os Sociólogos existentes até então, Augusto Comte foi o único a percebe que a divisão do trabalho era mais que um fenômeno econômico e sim a condição essencial para a vida social.
(Durkheim,2004,29).
Nesse mesmo estudo, desenvolve importantes noções para a compreensão de sua teoria, entre elas as de Consciência coletiva, Solidariedade Mecânica e Orgânica.

Consciência coletiva - Segundo Durkheim (2004,p.50) é um conjunto das crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade, forma um sistema determinado que tem vida própria (um ato criminoso é aquele que ofende justamente essa consciência coletiva).

Solidariedade Mecânica – É um tipo de solidariedade baseada na similitude dos indivíduos.

“ Segundo Lakatos (1985) As sociedades primitivas são caracterizadas pela solidariedade mecânica que se origina das semelhanças entre os membros individuais.
Para a manutenção dessa igualdade, necessária a sobrevivência do grupo, deve a coerção social, baseada na consciência coletiva, ser severa e repressiva.
Essas sociedades não podem tolerar aas disparidades, a originalidade, os particularismos, tanto nos indivíduos quanto nos grupos, pois isso significa um processo de desintegração.

Solidariedade Orgânica – baseada na interdependência dos indivíduos

Tal solidariedade é características das sociedades complexas (européias) marcadas por grande especialização do trabalho.
Dessa forma valoriza a interdependência entre as partes.
Tal forma de solidariedade possibilita maior autonomia para o individuo.

OBs- a solidariedade de Durkheim não se refere a valor moral e sim a divisão do trabalho e importância dessa na organização social.

Pode-se que As regras do Método Sociológico simboliza o ápice da contribuição desse teórico. Nela desenvolve um método independente da filosofia, exclusivamente sociológico e objetivo. Partindo da idéia de que os fenômenos sociais devem ser tratados como coisas, Durkheim possibilita um processo analítico através do qual é possível elaborar modelos e “manusear” o objeto de estudo.

Mais que isso, nessa obra Émile Durkheim defini o objeto da sociológica na noção de fato social, que segundo o autor é caracterizado pela

exterioridade - o fato social é exterior ao indivíduo, existe independentemente de sua vontade

generalidade - o fato social é geral e comum a todos os membros do grupo

coercitividade - Através de penalidades, fato social pressiona os membros a seguir determinados comportamentos e condutas

Para o estudo de qualquer fenômenos social, ele também recomenda abandono das pré-noções. Na obra o Suicídio (1987) Émile Durkheim demonstra, com algumas exceções, que o suicídio varia inversamente ao grau de integração do grupo social do qual o individuo faz parte.
Para tanto se apóia na observação de estudos estatísticos e na observações das regularidades desse fenômeno.