segunda-feira, 7 de junho de 2010



Ilhas de Calor
Como mitigar zonas de calor em áreas urbanas
Autor(a): Lisa Gartland

Editora: Oficina de Textos
ISBN: 9788586238994
Idioma: Português
Encadernação: Brochura
248 p. - 18x25cm - 1ª edição, 2010



Mais de 75% da população mundial vive em áreas urbanas e suburbanas, afetadas diretamente pelas ilhas de calor: um calor armazenado pelas construções, que não se dissipa, e pode aumentar a temperatura em até 7ºC em comparação às regiões ao seu redor. Responsáveis por uma sensação de desconforto, as ilhas de calor também agravam questões de saúde, em decorrência do aumento da poluição do ar e falta de sombra. Os custos elevados com maior consumo de energia são outros reflexos do problema, pagos diretamente pela população.

Ilhas de calor: como mitigar zonas de calor em áreas urbanas explica como se formam as ilhas de calor, quais seus efeitos negativos e como reduzir seus impactos por meio de intervenções práticas, como o emprego de coberturas e pavimentos frescos e o resfriamento pelo uso de árvores e outras vegetações. Além disso, o livro apresenta um plano de ação para que comunidades ponham em prática essas e outras formas de mitigar os efeitos das ilhas de calor e obtenham uma maior qualidade de vida.

Ferramenta fundamental para climatologistas, engenheiros, arquitetos, pesquisadores e estudantes da área por sua forma acessível, com exemplos práticos e conceitos teóricos precisos, que servem de referência para qualquer interessado em encontrar soluções para um problema urbanístico e ambiental sério e atual.

Companheiro

Companheiro 1

Enviado por Fernando Galindo Ortega (SP) em 18-04-2010.


Segundo José Castellani, "A palavra Companheiro é de origem latina.
O seu significado tem provocado controvérsias quanto à sua etimologia, pois alguns autores sustentam que ela seria derivada da preposição cum = com e do verbo ativo e neutro pango (is, panxi, actum, angere) = pregar, cravar, plantar, traçar sobre a cera e --- no sentido figurado --- escrever, compor, celebrar, cantar, prometer, contratar, confirmar.
Neste caso, especificamente, pango teria o sentido de contrato, promessa, confirmação, fazendo com que a expressão cum pango --- que teria dado origem à palavra Companheiro --- signifique com contrato , com promessa , envolvendo um solene compromisso, que teria orientado as atividades das companhias religiosas e profissionais da Idade Média e do período renascentista.
A origem mais aceita, todavia, é outra: o termo Companheiro é derivado da expressão cum panis, onde cum é a preposição com e panis é o substantivo masculino pão, o que lhe dá o significado de participantes do mesmo pão.
Isso dá a idéia de uma convivência tão íntima e profunda entre duas ou mais pessoas, aponto destas participarem do mesmo pão, para o seu nutrimento.
Essa origem, evidentemente, deve ser considerada nos idiomas derivados do latim: compañero (castelhano), compagno (italiano), compagnon (francês), companheiro (português).
A Enciclopédia Larousse, editada em Paris, por exemplo, registra o seguinte, em relação aos vocábulos compagnon e compagnonnage:
Compagnon - n.m. (du lat. cum = avec, et panis = pain) --- Celui que participe à la vie, aux occupations d’un autre: compagnon d’études. Membre d’une association de compagnonnage. Ouvrier. Ouvrier qui travaille pour un entrepreneur (par opos a patron).
Compagnonnage - n.m. --- Association entre ouvriers d’une même profession à des fins d’instruction professionelle et d’assistence mutuelle. Temps pendant lequel l’ouvrier sorti d’apprentissage travaillait comme compagnon chez son patron. Qualité de compagnon.
Ou seja:
Companheiro - substantivo masculino (do latim cum = com, e panis = pão) --- Aquele que participa, constantemente, das ocupações do outro: condiscípulo, companheiro de estudos. Membro de uma associação de companheirismo. Operário que trabalha para um empreiteiro".


Do livro: “Cartilha do Grau de companheiro”
Editora A Trolha – 1998
José Castellani



Companheiro 2


Enviado por Pedro (SP) em 03-11-2008. 21

Do latin "cum panis"; aquele com quem dividimos o pão. Aquele que confiamos o suficiente para sentar-lo em nossa mesa e dividir nossas idéias, vitórias, derrotas ou um simples pedaço de pão.

Amigos(as), namorada(o), esposa, marido.

A ameaça da gripe A foi ou não exagerada sob pressão dos laboratórios farmacêuticos?

A ameaça da gripe A foi ou não exagerada sob pressão dos laboratórios farmacêuticos?
O Conselho da Europa tenta determinar a autenticidade das acusações contra a Organização Mundial de Saúde (OMS) proferidas por um especialista alemão e alguns jornais.

Numa audição pública do Conselho da Europa, a OMS defendeu-se. O conselheiro especial da OMS para as pandemias de gripe, Keiji Fukuda, afirmou: “Qualificar a pandemia de falsa significa ignorar a história moderna e a ciência, minimizar a morte de catorze mil pessoas e as graves infecções registadas por outras. Deixem-se declarar oficialmente: as políticas, recomendações e respostas dadas à pandemia gripal por parte da OMS não foram influenciadas pela indústria farmacêutica”.

Na origem da audição esteve o epidemiologista alemão Wolfgang Wodarg, que acusa os laboratórios de terem incitado os sistemas de saúde a desperdiçarem dinheiro com uma vacina ineficaz: “Temos de defender os interesses dos sistemas de saúde e vimos que milhões de pessoas foram vacinadas desnecessariamente. Foram provocados danos às pessoas com o objectivo de ganhar dinheiro. Não podemos tolerar uma tal acção por parte de uma instituição importante como a OMS”.

A audição é o exemplo da polémica que se gerou em vários países europeus, que face aos elevados défices públicos, tentam anular as encomendas ou vender os “stocks” de vacinas.

Em todo o mundo foram administradas 175 milhões de vacinas contra a gripe A. O número de mortos ronda os 14 mil, ou seja, menos do que as vítimas da gripe sazonal.>


Copyright © 2010 euronews

Gripe A - H1N1 07 06 2010

Gripe A - H1N1

Conselho da Europa critica forma como OMS geriu gripe A
O Conselho da Europa critica fortemente a forma como a Organização Mundial da Saúde (OMS) geriu a pandemia da gripe A/H1N1, que aliás considera nunca ter sido uma pandemia.
Falta de transparência, desperdício de dinheiros públicos e incitação injustificada ao medo são algumas das acusações apontadas no relatório aprovado esta tarde.
A correspondente da Antena 1 em Estrasburgo, jornalista Fernanda Gabriel, revela mais pormenores.

2010-06-04 23:02:53
Fonte:


Fonte: http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=46&visual=9&tm=35&t=Conselho-da-Europa-critica-forma-como-OMS-geriu-gripe-A.rtp&article=350094

Gripe A - H1N1

Gripe A - H1N1

Gripe A H1N1 alastra na Europa

Só nas últimas 24 horas a União Europeia detectou 63 novos casos de Gripe A H1N1.
A maioria são no Reino Unido, sendo que na Holanda foram detectados quatro novos casos e na Bélgica um.

2009-06-07 09:59:41

Super-Heróis - Raul Seixas - 07 / 06 / 2010

Super-Heróis - Raul Seixas

Composição: Raul Seixas e Paulo Coelho

Hoje é segunda-feira e decretamos feriado
Chamei Dom Paulo Coelho e saímos lado e lado
Lá na esquina da Augusta quando cruza com
a Ouvidor
Não é que eu vi o Sílvio Santos(2x)
Sorrindo aquele riso franco e puro para um filme
de terror
Como é que eu posso ler se eu não consigo
concentrar minha atenção
Se o que me preocupa no banheiro, ou no trabalho
é a seleção
(Vê se tem Kung Fu aí em outra estação)

Já na outra esquina
Dei três vivas ao rei Faiçal
O povo confundiu pensando que era o carnaval
Então eu disse a Dom Paulete: eu conheço aquele ali
Não é possível, dom Raulzito(2x)
Quem que no Brasil não reconhece o grande
trunfo do xadrez
Saí pela tangente disfarçando uma possível
estupidez
Corri para um cantinho pra dali sacar o lance de
mansinho
(adivinha quem era? Mequinho!)

Lá em Nova York todo mundo é feliz
Vi o Marlon dançando o último tango de Paris
Pedi cerveja e convenci o garçom do botequim
A não pagar o tal do casco
Ele aceitou pois sou um astro!
E duma cobertura no Leblon
Pelé acena dando aquela
Enquanto o povo embaixo grita: É o Rei,
Pelé despenca da janela
É quando, a 120, o Fittipaldi passa e quem ele
atropela
(Meu Deus! Mequinho no chão, mais três velas)

Vamos dar viva aos grandes heróis
Vamos em frente, bravos cowboys
Avante! Avante! Super-Heróis
Ai-oh Silver!
Shazan

Yardbirds e Magic Slim



Yardbirds e Magic Slim no festival Douro Blues


por Lusa Hoje





The Yardbirds, banda famosa por onde passaram Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page, e o veterano Magic Slim são os cabeças de cartaz do festival Douro Blues, marcado para 2 e 3 de Julho em Gaia.


Em comunicado, o Pelouro da Cultura da Câmara de Gaia refere que a quinta edição do Douro Blues vai decorrer no Teatro d'Avenida e terá mais dois concertos, dos norte-americanos Sherman Robertson e Mable John.

Sherman Robertson é considerado "um dos mais novos expoentes do zydeco, hard-swinging Texas electric blues, R&B e Louisiana Blues", refere a autarquia.

Tal como Magic Slim, já com 72 anos, Mable John é "uma veterana cuja carreira, de 40 anos, se cruzou frequentemente e de forma continuada com alguns dos maiores nomes dos blues a nível mundial, como Ray Charles, Billy Holliday, B.B. King e David Newman".

Hard Rock Cafe adota cardápio especial vegetariano

Hard Rock Cafe adota cardápio especial vegetariano

06 de junho de 2010 13h 31


POR EDUARDO MAGOSSI - Agência Estado


O Hard Rock Cafe confirmou hoje que irá introduzir um cardápio especial vegetariano a partir desta segunda-feira (7) em sua unidade de Londres, em apoio à campanha criada pelo ex-beatle Paul McCartney, a "Meat Free Monday" (Segunda-feira Sem Carne).
O cardápio vegetariano estará disponível durante todas as segundas-feiras de 2010 no Hard Rock Café de Londres. Entre as opções estão o hamburger vegetariano Linda McCartney, sopa de cogumelos e lasanha de berinjela grelhada, além de várias bebidas saudáveis.
A "Meat Free Monday" é uma campanha que procura ressaltar a ligação entre a produção e o consumo de carne às mudanças climáticas e encorajar as pessoas a reduzirem suas emissões de gases de efeito estufa para ter, toda semana, um dia sem o consumo de carne. Lançado por Paul, Stella e Mary McCartney em junho de 2009, a campanha é um extensão de outras feitas pelos McCartneys, há décadas vegetarianos, como o constante ativismo a favor do tratamento ético dos animais.
Segundo Paul McCartney, a escolha de um dia da semana para não consumir carne é uma mudança significativa que qualquer um pode fazer, e que atinge várias questões de uma só vez, sejam elas políticas, ambientais ou éticas. "A campanha não apenas trata de poluição, mas de melhorar a saúde, de tratar os animais de forma ética, de fome global e também de ativismo político e comunitário", disse.
A representante de cultura do Hard Rock Cafe, Rita Gilligan, disse que foi por influência de Linda McCartney que, há quase 40 anos, o Hard Rock introduziu seu hamburger vegetariano. "Agora Linda ficaria orgulhosa de saber que seu legado permanece com a introdução das segundas-feiras sem carne." Linda, mulher de Paul McCartney, morreu em 1998.
Paul McCartney irá encerrar o último dia do festival "Hard Rock Calling", que acontece entre 25 e 27 de junho de 2010 no Hyde Park, em Londres, de acordo com o site de Paul McCartney.


Tópicos: Hard Rock Cafe, Carne, Meio ambiente, Paul McCartney, Internacional, Geral

Atividade Procedimental I: Trabalho em grupo 9º Ano 2 Pesquisa, Produção e Recuperação Continua de Geografia

 Alunos  desenvolvem atividade de  Recuperação Contínua - Revisão dos temas abordados nos bimestres anteriores -  em grupos de traba...