terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Atividade Para o 1º4 EM da EE Prof. Paulo Chaves Sociologia Prof Claudio

Bom dia Alunos do 1º4!
Posta aqui a atividade sobre Senso Comum!
Em Comentários, no final desta postagem!

41 comentários:

  1. 1º4 -Carlos Feliph Mendes Bazuco- Nº:08

    Senso comum significa um tipo de conhecimento adquirido pelo homem a partir de experiências, vivências e observação do mundo. É uma forma de conhecimento vulgar ou popular. Se caracteriza por conhecimentos empíricos acumulados ao longo da vida e passados de geração em geração.

    É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano.

    O senso comum é uma herança cultural que tem a função de orientar a sobrevivência humana nos mais variados aspectos. Através do senso comum uma criança aprende o que é o perigo e a segurança, o que pode e o que não pode comer, o que é justo e o que é injusto, o bem e o mal, e outras normas de vida que vão direcionar o seu modo de agir e pensar, as suas atitudes e decisões.

    ResponderExcluir
  2. 1°4 Izabele Mendes dos Santos Araujo n°18
    Na filosofia, o senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.

    ResponderExcluir
  3. 1º4 Kerolynne Dos S. Costa nº24
    o senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.[1]

    Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum, baseado na tentativa e no erro. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.

    No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que seja verdade e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes.

    Existem pessoas que confundem senso comum com crença, embora sejam coisas bem diferentes. Senso comum é aquilo que aprendemos em nosso dia a dia e que não precisamos aprofundar para obter resultados, como por exemplo: uma pessoa vai atravessar uma pista; ela olha para os dois lados, mas não precisa calcular a velocidade média, a distância, ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. Ela simplesmente olha e decide se dá para atravessar ou se deve esperar. Logo, o senso comum é um ato de agir e pensar que tem raízes culturais e sociais.

    ResponderExcluir
  4. 1º4 - Amanda Freire Pompeu, nº 02.

    O senso comum inclui conhecimentos práticos (aquilo que se chama saber-fazer, como por exemplo saber cozer um ovo ou saber coser um botão), mas estes são apenas uma parte e não a totalidade do senso comum. O senso comum inclui também conhecimentos que não são práticos. Nomeadamente, conhecimentos (embora pouco elaborados) de ideias – aquilo que em Filosofia se chama conhecimento proposicional ou “saber que”. Por exemplo: saber que (em Portugal) só se pode votar a partir dos 18 anos, saber que a lixívia debota a roupa, etc. O senso comum inclui conhecimentos práticos (aquilo que se chama saber-fazer, como por exemplo saber cozer um ovo ou saber coser um botão), mas estes são apenas uma parte e não a totalidade do senso comum. Por outro lado, o senso comum inclui também superstições.

    ResponderExcluir
  5. 1°4 monique oliveira da silva n°33

    o senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.[1]
    Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum, baseado na tentativa e no erro. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.
    No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que seja verdade e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes.

    ResponderExcluir
  6. 1º4 Amanda santos de arruda nº:03


    O senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.[1]
    Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum, baseado na tentativa e no erro. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.
    No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que seja verdade e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes.
    Existem pessoas que confundem senso comum com crença, embora sejam coisas bem diferentes. Senso comum é aquilo que aprendemos em nosso dia a dia e que não precisamos aprofundar para obter resultados, como por exemplo: uma pessoa vai atravessar uma pista; ela olha para os dois lados, mas não precisa calcular a velocidade média, a distância, ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. Ela simplesmente olha e decide se dá para atravessar ou se deve esperar. Logo, o senso comum é um ato de agir e pensar que tem raízes culturais e sociais.

    ResponderExcluir
  7. 1º4 - carlos henrique de oliveira

    O que é Senso Comum:



    Senso comum significa um tipo de conhecimento adquirido pelo homem a partir de experiências, vivências e observação do mundo. É uma forma de conhecimento vulgar ou popular. Se caracteriza por conhecimentos empíricos acumulados ao longo da vida e passados de geração em geração.

    É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano.

    O senso comum é uma herança cultural que tem a função de orientar a sobrevivência humana nos mais variados aspectos. Através do senso comum uma criança aprende o que é o perigo e a segurança, o que pode e o que não pode comer, o que é justo e o que é injusto, o bem e o mal, e outras normas de vida que vão direcionar o seu modo de agir e pensar, as suas atitudes e decisões.

    Também faz parte do senso comum os conselhos e ditos populares que são tidos como verdades e seguidos pelo povo. Por exemplo: “Deve-se cortar os cabelos na lua crescente para que cresçam mais rápido”.

    ResponderExcluir
  8. 1º4 Matheus A Alves P.Numero:32.Na sociologia, o senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.[1]
    Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum, baseado na tentativa e no erro. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.
    No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que seja verdade e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes.
    Existem pessoas que confundem senso comum com crença, embora sejam coisas bem diferentes. Senso comum é aquilo que aprendemos em nosso dia a dia e que não precisamos aprofundar para obter resultados, como por exemplo: uma pessoa vai atravessar uma pista; ela olha para os dois lados, mas não precisa calcular a velocidade média, a distância, ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. Ela simplesmente olha e decide se dá para atravessar ou se deve esperar. Logo, o senso comum é um ato de agir e pensar que tem raízes culturais e sociais.

    ResponderExcluir
  9. 1º4 - Amanda Freire Pompeu, nº 02

    Empírico/empirismo é algum, um fato que se apóia somente em experiências vividas, na observação de coisas, e não em teorias e métodos científicos. Empírico é aquele conhecimento adquirido durante toda a vida, no dia-a-dia, que não tem comprovação científica nenhuma. Empírico ou empirismo também é o nome designado para aquele indivíduo que promete curar doenças, sem noções científicas, uma espécie de curandeiro, que na verdade, é um charlatão.

    ResponderExcluir
  10. 1º4 Kerolynne Dos S. Costa nº24
    Empirismo é um movimento que acredita nas experiências como únicas (ou principais) formadoras das ideias, discordando, portanto, da noção de ideias inatas.

    O empirismo é a sabedoria adquirida por percepções; pela origem das ideias por onde se percebe as coisas, independente de seus objetivos e significados; pela relação de causa-efeito por onde fixamos na mente o que é percebido atribuindo à percepção causas e efeitos; pela autonomia do sujeito que afirma a variação da consciência de acordo com cada momento; pela concepção da razão que não vê diferença entre o espírito e extensão, como propõe o racionalismo e ainda pela matemática como linguagem que afirma a inexistência de hipóteses.

    Na ciência, o empirismo é normalmente utilizado quando falamos no método científico tradicional (que é originário do empirismo filosófico), o qual defende que as teorias científicas devem ser baseadas na observação do mundo, em vez da intuição ou da fé, como lhe foi passado.

    O termo tem uma etimologia dupla. A palavra latina experientia, de onde deriva a palavra "experiência", é originária da expressão grega εμπειρισμός. Por outro lado, deriva-se também de um uso mais específico da palavra empírico, relativo aos médicos cuja habilidade derive da experiência prática e não da instrução da teoria.

    ResponderExcluir
  11. 1º4 -Carlos Feliph Mendes Bazuco- Nº:08

    Empirismo é um movimento que acredita nas experiências como únicas, e são essas experiências que formam idéias. O empirismo é caracterizado pelo conhecimento científico, quando a sabedoria é adquirida por percepções; pela origem das idéias por onde se percebe as coisas, independente de seus objetivos e significados.

    ResponderExcluir
  12. 1º4 Layane martins magalhães n°26
    Na sociologia, o senso comum (ou conhecimento vulgar) é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normal, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas como as científicas.[1]
    Um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum, baseado na tentativa e no erro. O senso comum que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata e vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.
    No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações; o senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que seja verdade e que lhe traga resultados práticos herdados pelos costumes.
    Existem pessoas que confundem senso comum com crença, embora sejam coisas bem diferentes. Senso comum é aquilo que aprendemos em nosso dia a dia e que não precisamos aprofundar para obter resultados, como por exemplo: uma pessoa vai atravessar uma pista; ela olha para os dois lados, mas não precisa calcular a velocidade média, a distância, ou o atrito que o carro exerce sobre o solo. Ela simplesmente olha e decide se dá para atravessar ou se deve esperar. Logo, o senso comum é um ato de agir e pensar que tem raízes culturais e sociais.

    ResponderExcluir
  13. 1º4 - carlos henrique de oliveira

    Significado de Empírico

    adj. Que faz alusão ao empirismo.
    Que se apoia exclusivamente na experiência e na observação: medicina empírica.
    Que não se pauta em uma teoria determinada.
    s.m. Aquele que cura doenças ou trata doentes, sem noções científicas, curandeiro.
    Pej. Sujeito charlatão.
    (Etm. do grago: empeirikós)

    ResponderExcluir
  14. 1°4 Izabele Mendes dos Santos Araujo n°18 Empírico é algum, um fato que se apóia somente em experiências vividas, na observação de coisas, e não em teorias e métodos científicos. Empírico é aquele conhecimento adquirido durante toda a vida, no dia-a-dia, que não tem comprovação científica nenhuma.

    Método empírico é um método feito através de tentativas e erros, é caracterizado pelo senso comum, e cada um compreende à sua maneira. O método empírico gera aprendizado, uma vez que aprendemos fatos através das experiências vividas e presenciadas, para obter conclusões. O conhecimento empírico é muitas vezes superficial, sensitivo e subjetivo.

    Empírico também é o nome designado para aquele indivíduo que promete curar doenças, sem noções científicas, uma espécie de curandeiro, que na verdade, é um charlatão.

    ResponderExcluir
  15. 1°4 layane martins magalhães
    Empírico/empirismo é algum, um fato que se apóia somente em experiências vividas, na observação de coisas, e não em teorias e métodos científicos. Empírico é aquele conhecimento adquirido durante toda a vida, no dia-a-dia, que não tem comprovação científica nenhuma. Empírico ou empirismo também é o nome designado para aquele indivíduo que promete curar doenças, sem noções científicas, uma espécie de curandeiro, que na verdade, é um charlatão.

    ResponderExcluir
  16. 1º4 Amanda santos de arruda nº03

    Na sociologia Empirismo é um movimento que acredita nas experiências como únicas (ou principais) formadoras das ideias, discordando, portanto, da noção de ideias inatas.
    O empirismo é a sabedoria adquirida por percepções; pela origem das ideias por onde se percebe as coisas, independente de seus objetivos e significados; pela relação de causa-efeito por onde fixamos na mente o que é percebido atribuindo à percepção causas e efeitos; pela autonomia do sujeito que afirma a variação da consciência de acordo com cada momento; pela concepção da razão que não vê diferença entre o espírito e extensão, como propõe o racionalismo e ainda pela matemática como linguagem que afirma a inexistência de hipóteses.
    Na ciência, o empirismo é normalmente utilizado quando falamos no método científico tradicional (que é originário do empirismo filosófico), o qual defende que as teorias científicas devem ser baseadas na observação do mundo, em vez da intuição ou da fé, como lhe foi passado.
    O termo tem uma etimologia dupla. A palavra latina experientia, de onde deriva a palavra "experiência", é originária da expressão grega εμπειρισμός. Por outro lado, deriva-se também de um uso mais específico da palavra empírico, relativo aos médicos cuja habilidade derive da experiência prática e não da instrução da teoria.

    ResponderExcluir
  17. 1º4 Matheus A Alves P nº32 Significado de Empírico:

    adj. Que faz alusão ao empirismo.
    Que se apoia exclusivamente na experiência e na observação: medicina empírica.
    Que não se pauta em uma teoria determinada.
    s.m. Aquele que cura doenças ou trata doentes, sem noções científicas, curandeiro.
    Pej. Sujeito charlatão.
    (Etm. do grago: empeirikós)

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  19. 1º5-Anderson Ap. Nº4
    O senso comum guia os indivíduos no seu dia a dia. Ele não é exato, não possui explicações nem comprovações... O senso comum é um conhecimento que passa de geração em geração e resolve ou “tampa com a peneira” os problemas cotidianos dos homens.


    Observando nossa própria casa podemos ver vários traços do senso comum:


    Bombril na antena da TV para ajudar o aparelho a funcionar melhor; Leite com manga dá dor de barriga; passar por baixo de escada dá azar; se deixar o chinelo virado a mãe irá morrer... etc.

    ResponderExcluir
  20. mauricio sanches neto 1º5
    Em livros e sites de Sociologia (e de Filosofia) encontra-se muitas vezes a afirmação de que o senso comum é um conhecimento prático e a afirmação de que o senso comum é o mesmo que o conhecimento vulgar. No entanto, ambas as afirmações são incorrectas.

    Escrevi detalhadamente acerca desse assunto no blogue Dúvida Metódica: Equívocos acerca do senso comum.

    Sem entrar em detalhes filosóficos (desnecessários no estudo da Sociologia), vou explicar porque é que as afirmações referidas são incorrectas.

    O senso comum inclui conhecimentos práticos (aquilo que se chama saber-fazer, como por exemplo saber cozer um ovo ou saber coser um botão), mas estes são apenas uma parte e não a totalidade do senso comum.

    O senso comum inclui também conhecimentos que não são práticos. Nomeadamente, conhecimentos (embora pouco elaborados) de ideias – aquilo que em Filosofia se chama conhecimento proposicional ou “saber que”. Por exemplo: saber que (em Portugal) só se pode votar a partir dos 18 anos, saber que a lixívia debota a roupa, etc.

    Por outro lado, o senso comum inclui também superstições (crenças falsas e sem qualquer justificação plausível, como por exemplo acreditar que ver gatos pretos traz infelicidade) e crenças não supersticiosas sobre os mais diversos aspectos da vida (convicções morais, políticas, sociais, etc., como por exemplo acreditar que se deve pagar as dívidas, acreditar que não se deve matar pessoas inocentes, etc.), que não têm um carácter prático.

    Não se pode também dizer que o senso comum é o mesmo que o conhecimento vulgar. Os conhecimentos que fazem parte do senso comum são, sem dúvida, “vulgares”: são saberes simples, pouco elaborados e resultam da experiência de vida e não de investigações. Todavia, e como já foi dito, o senso comum inclui também superstições. Estas, sendo crenças falsas e sem justificação, não são conhecimentos. O problema não está, portanto, na palavra “vulgar” mas na palavra “conhecimento”. Não se pode identificar senso comum e conhecimento vulgar pois alguns conteúdos do senso comum não são conhecimentos.

    As distinções que fiz entre senso comum e conhecimento prático e senso comum e conhecimento vulgar estão de acordo com a compreensão que os sociólogos habitualmente têm da natureza e do papel da Sociologia.

    A segunda distinção é, nesse contexto, particularmente relevante. Os sociólogos reconhecem que têm de se precaver contra o senso comum. Alguns utilizam a esse respeito a expressão “ruptura com o senso comum”. O que tal expressão significa é que, para constituir conhecimentos sociológicos de carácter científico, o sociólogo não se deve deixar influenciar pelas crenças falsas que adquiriu no seio da sua comunidade ao longo do processo de socialização e não se deve contentar com as crenças verdadeiras que adquiriu do mesmo modo, pois aquelas são superstições enganadoras e estas não passam de conhecimentos vulgares e superficiais que precisam de ser aprofundados.

    ResponderExcluir
  21. 1°5-Arielli-05

    O senso comum ele ajuda muitas pessoas no seu dia a dia em seus problemas ele não tem explicações nem comprovações ele só
    e um conhecimento por exemplo uma pessoa diz que se você comer uma manga misturada com leite da dor não e uma comprovação e sim um conhecimento e eu adorei saber o que e senso comum e simplesmente demais. gostei muito

    ResponderExcluir
  22. 1°5-Amanda-03
    Eu amei senso comum pois retrata sobre conhecimentos amei ótimo.Passar por baixo de escada pode não dar azar, mas não podemos negar que há certa probabilidade dela cair em cima de você.

    ResponderExcluir
  23. 1°5 Thauani S. Ramos n°34
    O senso comum é algo que pensamos,não é uma coisa exata.Exemplos disso é a crença, costumes, superstições, observações e etc.
    Já o conhecimento cientifico é algo exato. Como exemplo disso é a Lei da Gravidade, formulada por Isasc Newton onde se usa calculos para explicar a regra.

    ResponderExcluir
  24. Douglas henrique: 1°5 numero: 14: O senso comum é um conhecimento que passa de geração em geração e resolve ou "tampa com a peneira" os problemas cotidiano dos homens.. ex: manga com leite faz mal! é um conhecimento cientifico.

    ResponderExcluir
  25. 1º5 nome: vinicius rangel resende dos santos nº35
    na minha opinião O senso comum difere-se em alguns aspectos com a ciência, pois a ciência busca a verdade em todas as coisas por meio de testes e comprovações, enquanto o senso comum é utilizado antes mesmo que se saiba se o método empregado traz o que se espera. A ciência é objetiva, busca critérios, avalia, busca leis de funcionamento, reúne a individualidade existente em cada lei para formar uma só estrutura e isso sem procurar semelhança entre elas, se renova, se modifica e busca sempre se firmar no conhecimento.

    ResponderExcluir
  26. 1º5-Bryan Guedes nº9
    É algo que é passado de geração, uma coisa que pensamos, como costumes, crenças, observações etc.
    E é uma coisa de cada um e não pode ser mudado facilmente

    ResponderExcluir
  27. 1°5-Amanda-03
    eu achei simplismente um conteudo muito interesante sobre os conhecimentos gerais de senso amei

    ResponderExcluir
  28. O senso comum é um conhecimento que passa de geração em geração, e não possui explicações nem comprovações exatas ex= Crença, costumes e etc E também possui o senso comum práticos como(saber-fazer)ex=cozinhar um ovo, consertar um botão e etc.

    ResponderExcluir
  29. 1°6 Caio Henrique S.lopes n°9
    O senso comum é visto como a compreensão de todas as coisas por meio do saber social, ou seja, é o saber que se adquire através de experiências vividas ou ouvidas do cotidiano. Engloba costumes, hábitos, tradições, normas, éticas e tudo aquilo que se necessita para viver bem.
    O senso comum difere-se em alguns aspectos com a ciência, pois a ciência busca a verdade em todas as coisas por meio de testes e comprovações, enquanto o senso comum é utilizado antes mesmo que se saiba se o método empregado traz o que se espera. A ciência é objetiva, busca critérios, avalia, busca leis de funcionamento, reúne a individualidade existente em cada lei para formar uma só estrutura e isso sem procurar semelhança entre elas, se renova, se modifica e busca sempre se firmar no conhecimento.

    ResponderExcluir
  30. 1°6 Beatriz Gonçalves n°5
    Eu entendi que o senso comum que diferentemente da ciência que é comprovado cientificamente como opinião ou seja,opinião própria.
    O senso comum é conhecido também pelo homem a partir de experiências,vivencias a observação do mundo.O senso comum também é uma herança cultural que de orientas a sobrevivência humana.

    ResponderExcluir
  31. 1°6 Larissa O. de Andrade n° 20
    Senso comum: é um senso que temos naturalmente, onde podemos raciocinar, pensar e observar os acontecimentos e poder pensar nas soluções que parecem certas...

    ResponderExcluir
  32. 1°6
    Thalya Aquino Silva N°34
    O senso comum em minha opinião é algo que ao longo das gerações vêem sendo modificado em certas areas á cada dia que se passa, mais opnioes e valores são mudados, que, ao contrario do conhecimento cientifico, que é baseado em fatos, este mais vêem de tradições estendidas de geração em geração, que porfim servem para direcionar o homem em sua vida diária.

    ResponderExcluir
  33. Mayara Helena 1°6 27 - O Senso Comum é o conhecimento que pertence à maioria das pessoas, geralmente possuidora de pouca ou nenhuma instrução aprofundada, muitas vezes também provenientes de costumes ou tradições culturais. Em poucas palavras Senso Comum é o "conhecimento popular"

    ResponderExcluir