sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Raul, anos setenta e oitenta, a ditadura e o Caves Bar...

Devido ao cartaz que acabei de ver do tema “ Toca Raul” para o Canções A Lacarte, recente, me vieram a mente letras do impagável Raul dos Santos Seixas, baiano de nascimento, roqueiro por ideologia, musico por convicção e teimosia, brasileiro consciente e inteligente, drogado e bêbado...ufa!

Nas canções do Raul li coisas do tipo...” sonho que se sonha só...é só um sonho que se sonha só... mas sonho que se sonha junto é realidade...” que trata da relação de cumplicidade de saberes necessários ao estabelecimento da realidade e seus padrões de reconhecimento da sanidade.

Outra pérola é aquela canção "Sessão das Dez", um melodrama setentista cheio do clima mexicano( inclusive bem definido pela metaleira de sopro) das canções tipo Evaldo Braga, um cantor de estilo muito próprio e popular nesta década. Pois é...Mosca na Sopa, onde Raul dando uma de inseto nojento, diz que não adianta vir detetizar pois tão logo ele se vai vem outra em seu lugar...

Metáfora que dá asas as questões do pessoal de esquerda contrários a repressão militar imposta no período anterior e que só acabaria ainda, no posterior. Raul ainda fez canções sublimes e ternas como "Ângela", "Babe hoje ce faz quinze anos", "How could I no", a emblemática "Na beira do pantanal", onde num folk do Mississipi, ele declara ter matado a mulher que amava com punhal e jogado o corpo no rio, mas ciente que vai pagar na prisão pela transgressão!

Como podem perceber, de Raul Seixas, tenho muitas lembrança, não que eu tenha matado alguém...rsrs! 

Pois bem, também toquei muita música do Raul!

Nos bares noturnos que preservam o som ao vivo, sempre se ouve o jargão popular apelando: “ toca Raul” - ainda me lembro de uma mocinha ruiva, bem magrelinha, que nem seios parecia ter e que viria a ser minha cunhada Marta Helena que gritava assim: “ Cau Toca Beatles Cau”....rsrs, , no Caves Bar, barzinho muito, muito, muito bacana que existiu nos anos 80 nos porões do antigo hotel Jóia, bem no centro da cidade de Limeira, atrás do Fórum Spencer Vampré.

Lá neste underground limeirense nunca igualado, em temática, freqüência, musica, clima e como “point ” onde Raul era uma coisa normal!  Toquei também muito Neil Young, Bob Dylan, Stones, America, Beto Guedes, Milton Nascimento, Zé Ramalho, Brilho, Barão Vermelho, e mais um porre de canções de todo tipo de musica boa...



Repassando: matéria de inteligência Pública - A Guerra dos Brasis

A guerra dos Brasis O Estado de S. Paulo 18 Jun 2019 FERNÃO LARA MESQUITA JORNALISTA, ESCREVE EM WWW.VESPEIRO.COM Sob os rep...