terça-feira, 16 de outubro de 2012

1º ano EM tarefa da semana de 15 a 19 de outubro Mobilidade Social

Mobilidade Social
A mobilidade social é um campo de estudo da sociologia bastante usado para a compreensão das formas pelas quais os diferentes grupos humanos diferenciam os integrantes de uma mesma cultura. De forma mais específica, a mobilidade tem a importante função de pensar as vias e possibilidades de troca, ascensão ou rebaixamento que um determinado indivíduo possui no meio em que estabelece suas relações.

Em algumas sociedades a questão da mobilidade é tida como inexistente, principalmente naqueles casos em que a posição de um indivíduo é preservada ao longo de toda a sua existência. Na ausência de mobilidade, alguns estudiosos costumam classificar uma sociedade como estratificada. Um dos mais reconhecidos exemplos utilizados para esse tipo de situação é observado no interior da sociedade feudal, onde clérigos, nobres e servos dispunham de uma mesma posição ao longo da existência.

A ideia de estratificação é contaminada por diversos problemas de definição e outros limites que nos mostram que é extremamente complicado afirmar que não há nenhum tipo de mobilidade em determinada coletividade. Sujeitos à transformação de seus costumes e a outras mudanças de caráter histórico, um grupo social passa a elaborar outros meios de organização que desestabilizam e ressignificam a hierarquia social outrora atribuída pelos sujeitos.

Na era moderna, a disseminação dos valores liberais transformaram o conceito de mobilidade social em uma meta política para as nações guiadas por princípios democráticos. Os números de desenvolvimento social e econômico enxergam na mobilidade ascendente um claro indício do acúmulo e distribuição menos desigual da riqueza entre a população. Contudo, não podemos restringir a concepção de mobilidade somente à variação das condições materiais que uma pessoa tem ao longo de sua vida.

Em algumas culturas, podemos notar que a posição social de um indivíduo pode estar atrelada à sua descendência familiar ou algum tipo de papel político-religioso desempenhado. Para ilustrar isso podemos apontar que, em determinadas culturas, o poder decisório de um sacerdote não é o mesmo de um rico comerciante. Com isso, compreendemos que a mobilidade social é um conceito dinâmico que deve ser definido a partir das informações recolhidas dentro da sociedade que é investigada. A mobilidade social horizontal: Alterações no estatuto social mas que não provocam mudança de classe ou de estrato social. É o caso de uma pessoa que pelo casamento obtém um estatuto diferente (o de casado) mas continua no mesmo estrato social.

A mobilidade social vertical: Está relacionada com a constituição de classes sociais e o surgimento dos valores de ascensão social. A estratificação social altera profundamente os padrões de sociabilidade, que passam a se assentar na solidariedade grupal a partir do desempenho de funções produtivas semelhantes.

3º ano EM Tarefa da semana de de 15 a 19 de outubro - A Escravidão Contemporânea



A assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, representou o fim do direito de


propriedade de uma pessoa sobre a outra, acabando com a possibilidade de possuir


legalmente um escravo no Brasil. No entanto, persistiram situações que mantêm o


trabalhador sem possibilidade de se desligar de seus patrões. Há fazendeiros que, para


realizar derrubadas de matas nativas para formação de pastos, produzir carvão para a


indústria siderúrgica, preparar o solo para plantio de sementes, algodão e soja, entre


outras atividades agropecuárias, contratam mão-de-obra utilizando os contratadores


de empreitada, os chamados “gatos”. Eles aliciam os trabalhadores, servindo de fachada


para que os fazendeiros não sejam responsabilizados pelo crime.3


Esses gatos recrutam pessoas em regiões distantes do local da prestação de


serviços ou em pensões localizadas nas cidades próximas. Na primeira abordagem,


mostram-se agradáveis, portadores de boas oportunidades de trabalho. Oferecem serviço


em fazendas, com garantia de salário, de alojamento e comida. Para seduzir o


trabalhador, oferecem “adiantamentos” para a família e garantia de transporte gratuito


até o local do trabalho.


3 Baseado em texto organizado pelo autor, no final de abril de


2004, a pedido da Comissão Nacional para Erradicação do


Trabalho Escravo (Conatrae) para explicar à sociedade o que é


trabalho escravo.


22 •


O transporte é realizado por ônibus em péssimas


condições de conservação ou por caminhões improvisados sem


qualquer segurança. Ao chegarem ao local do serviço, são


surpreendidos com situações completamente diferentes das


prometidas. Para começar, o gato lhes informa que já estão


devendo. O adiantamento, o transporte e as despesas com


alimentação na viagem já foram anotados em um “caderno” de


dívidas que ficará de posse do gato. Além disso, o trabalhador


percebe que o custo de todos os instrumentos que precisar para


o trabalho – foices, facões, motosserras, entre outros – também


será anotado no caderno de dívidas, bem como botas, luvas,


chapéus e roupas. Finalmente, despesas com os improvisados


alojamentos e com a precária alimentação serão anotados, tudo


a preço muito acima dos praticados no comércio.


Convém lembrar que as fazendas estão distantes dos


locais de comércio mais próximos4, sendo impossível ao


trabalhador não se submeter totalmente a esse sistema de


“barracão”, imposto pelo gato a mando do fazendeiro ou


diretamente pelo fazendeiro.


Se o trabalhador pensar em ir embora, será impedido


sob a alegação de que está endividado e de que não poderá sair


enquanto não pagar o que deve. Muitas vezes, aqueles que


reclamam das condições ou tentam fugir são vítimas de surras.


No limite, podem perder a vida.

Dica de Pesquisa

Organização Internacional do Trabalho

Escritorio Brasil
Promovendo o Trabalho Decente


http://www.oit.org.br/