sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Esquadrilha da Fumaça estará na Festa Aviatória

A Esquadrilha da Fumaça estará mais uma vez em Limeira no próximo dia 7 de novembro, domingo, às 16h30, no Aeródromo Municipal, durante a Festa Aviatória.
O evento é uma realização da Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria de Turismo e Eventos, em parceria com o Sistema Jornal de Rádio e TV, e acontece das 10h às 18h, com entrada franca.
De acordo com o secretário de Turismo e Eventos, Marcos Camargo, as apresentações da Esquadrilha da Fumaça se tornaram tradicionais na cidade.
“No ano passado, havia cerca de 30 mil pessoas no evento. É um espetáculo de alto nível que atrai famílias de Limeira e região”, disse.
As demonstrações aéreas são realizadas com sete aeronaves que farão 25 sequências de manobras com 55 acrobacias no céu, enquanto um dos pilotos narra a apresentação.
O modelo de avião utilizado é o T27-Tucano e o show tem 45 minutos de duração.
Além destas atrações, a Festa Aviatória terá exposição de aviões, apresentações de paraquedismo, bandas de pop rock e ampla praça de alimentação em prol das entidades assistenciais do município.
As apresentações da Esquadrilha da Fumaça são gratuitas e podem ser agendadas no Centro de Comunicação Social da Aeronáutica com antecedência mínima de quatro meses.


O site da Esquadrilha é www.esquadrilhadafumaca.com.br.



Néliane Simioni

Prefeitura de Limeira/SP

Secretaria Municipal de Turismo e Eventos
(19) 3495-1350
comunicacaoturismoeeventos@gmail.com

www.turismolimeira.com

www.twitter.com/eventoslimeira

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Renato Russo, Uma Celebração - RECOMENDO

Renato Russo, Uma Celebração, que contou com a coordenação e idealização de Marcelo Froes e produção musical de Liminha, foi gravado ao vivo na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro.
O repertório inclui os grandes sucessos do poeta e ícone de toda uma geração, nas vozes de artistas contemporâneos e admiradores de várias vertentes da música brasileira, como o hell raiser - que deveria ter ficado lá mesmo - Paulo Ricardo, Plebe Rude, Vanessa da Mata, Leela - que me perdoe mas pra mim é uma ilustre desconhecida, embora dono de uma vozinha linda e doce - Fernadinha Takai - da qual sou fã e acho uma das vozes mais afinadinhas do momento - ( não gosto do pato cru! gosto da Fernanda) Autoramos - boooooooooom de mais! e Capital Inicial ( de novo!), entre outros, além de trazer duas músicas inéditas:
"Fábrica 2" e a instrumental "O grande Inverno da Rússia", tocada pela Confraria, a banda que acompanhou os intérpretes solistas do projeto, formada por Billy Brandão (guitarra), Maurício Barros (teclados), Marcelo Costa (bateria) e Bruno Migliari (baixo). MUITO BOM. 


 Procedência: Nacional


Estúdio: EMI (Video)


Cor: Colorido


Ano de Lançamento: 2006


Elenco: VÁRIOS


Recomendação: livre


Região do DVD: Região 4


Disco

O Grande Inverno da Rússia - Confraria

A Canção do Senhor da Guerra - Chorão

Eu Sei - Fernanda Takai/John Ulhoa

Música Urbana 2 - Nasi

Boomerang Blues - Paulo Ricardo

Monte Castelo - Paulo Ricardo

Por Enquanto - Vanessa da Mata

Faroeste Caboclo - Toni Platão

Vinte e Nove - Isabela Taviani

Química - Plebe Rude

Fábrica - Tantra/Tantro

Eduardo e Mônica - Biquini Cavadão

Tédio (Com um T Bem Grande pra Você) - Autoramas

Vamos Fazer um Filme - Leela

Geração Coca-Cola - Cidade Negra

Metrópole - Forfun

Daniel na Cova dos Leões - Detonautas

Fábrica 2 - Titãs

Que Pais é Este - Titãs

Marcianos Invadem a Terra - Dinho Ouro Preto

Tempo Perdido - Capital Inicial

O Grande Inverno da Rússia (Versão Estúdio) - Con

Por Enquanto (Extras) - Capital Inicial

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

História do Dia das Bruxas- HALLOWEEN

O Halloween
 é uma festa comemorativa
celebrada todo ano no dia 31 de outubro, véspera do
Dia de Todos os Santos.
Ela é
realizada em grande parte
 dos países ocidentais, porém é mais representativa nos Estados Unidos.
Neste país, levada pelos imigrantes irlandeses, ela chegou em meados do século XIX.


Símbolos e Tradições
Esta festa,
por estar relacionada em sua origem à morte, resgata elementos e figuras assustadoras.
 São símbolos comuns desta festa: fantasmas, bruxas, zumbis, caveiras, monstros, gatos negros e até personagens como Drácula e Frankestein.
As crianças também participam desta festa.
Com a ajuda dos pais, usam fantasias assustadoras e partem de porta em porta na vizinhança, onde soltam a frase “doçura ou travessura”.
Felizes, terminam a noite do 31 de outubro, com sacos cheios de guloseimas, balas, chocolates e doces.

Halloween no Brasil
No Brasil a comemoração desta data é recente. Chegou ao nosso país através da grande influência da cultura americana, principalmente vinda pela televisão.
Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa em território nacional, pois valorizam e comemoram esta data com seus alunos:
uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.
Muitos brasileiros defendem que a data nada tem a ver com nossa cultura e, portanto, deveria ser deixada de lado.
Argumentam que o Brasil tem um rico folclore que deveria ser mais valorizado.
Para tanto, foi criado pelo governo, em 2005, o Dia do
Saci (comemorado também em 31 de outubro).
  


LUA CHEIA, GATOS E MORCEGOS

Acreditava-se
que a lua cheia marcava
a época de praticar certos rituais ocultos.
O gato estava associado as bruxas por superstição.
Acreditava-se que as bruxas podiam transferir seus espíritos para gatos,
então acreditava-se que toda bruxa tinha um gato.
O gato era tido como "um espírito familiar" e muitos eram mortos quando se suspeitava ser uma bruxa.

Os druidas também tinham os gatos
 como animais sagrados, acreditando terem eles sido seres humanos transformados em gatos como punição por algum tipo de perversidade. Representavam portanto seres humanos encarnados, espíritos malvados, ou os "espíritos familiares" das bruxas.
A cor do gato originalmente não era um fator importante.
O morcego, por sua habilidade de perseguir sua presa no escuro, adquiriu a reputação de possuir forças ocultas.
O mamífero voador também possuía as características de pássaro (para o ocultismo, símbolo da alma) e de demônio (por ser noturno).
No período medieval acreditava-se que demônios transformavam-se em morcegos.


BRUXAS E FANTASMAS

Os antigos druidas acreditavam que em uma certa noite (31 de outubro), bruxas, fantasmas, espíritos, fadas, e duendes saiam para prejudicar as pessoas.


DRUIDAS
  Estes eram membros de um culto sacerdotal entre os celtas na antiga França, Inglaterra e Irlanda que adoravam deuses semelhantes aos dos gregos e romanos, mas com nomes diferentes.
Pouco se sabe sobre eles, pois os sacerdotes passavam seus ensinamentos apenas oralmente jurando e fazendo jurar segredo.
Algumas práticas porém são conhecidas.
Eles moravam nas florestas e cavernas, e diziam dar instruções, fazer justiça e prever o futuro através de vôo de pássaros, do fogo, do fígado e outras entranhas de animais sacrificados.
Os druidas também ofereciam sacrifícios humanos e tinham como sagrados a lua, a "meia-noite", o gato, o carvalho, etc.
Os druidas foram dizimados pelos romanos na França e Inglaterra antes do final do primeiro século, mas continuaram ativos na Irlanda até o quarto século.
 

CABEÇAS DE ABÓBORA (“JACK-O-LANTERNS”)

A lanterna feita com uma abóbora recortada em forma de "careta", veio da lenda de um homem notório chamado Jack, a quem foi negada a entrada no céu, por sua maldade, e no inferno, por pregar peças no diabo.

Condenado a perambular pela terra como espirito até o dia do juízo final, Jack colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco, para iluminar-lhe o caminho através da noite.
Este talismã (que virou abóbora) simbolizava uma alma condenada.


TRAVESSURAS OU DOCES – “TRICK OR TREAT”

"Acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles.

Esta prática foi transformada com o tempo e os mendigos passaram a pedir comida em troca de orações por quaisquer membros mortos da família.
Também neste contexto, havia na Irlanda a tradição, que um homem conduzia uma procissão para angariar oferendas de agricultores, a fim de que sua colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios.
Uma espécie de chantagem, que daí deu origem ao "travessuras ou doces" "Trick or Treat".

AS FOGUEIRAS
A palavra inglesa para fogueira (de acampamento, festas, etc.) é "Bonfire".
Alguém pode até pensar que quer dizer "fogo bom", mas na verdade vem de "Bone" (osso) + "Fire" (fogo).
Nas celebrações da "Vigília de Samhain" nos dias 31 de outubro, os druidas acreditavam poder ver boas coisas e mal agouros do futuro através do fogo.
Nestas ocasiões, os druidas construíam grandes fogueiras com cestas de diversos formatos e queimavam vivos prisioneiros de guerra, criminosos e animais.
Observando a posição dos corpos em chama, eles diziam ver o futuro.
Mais tarde, mulheres, crianças, filósofos e cientistas foram "assados" vivos por católicos, calvinistas e luteranos.

AS CORES LARANJA E PRETO
As cores usadas no Halloween, o laranja e o preto, também tem sua origem no oculto.
Elas estiveram ligadas a missas comemorativas em favor dos mortos, celebradas em novembro. As velas de cera de abelha tinham cor alaranjada, e os esquifes eram cobertos com tecidos pretos.

FEITIÇARIA NO PASSADO

Não só os católicos
durante as atrocidades da Santa Inquisição,
mas também os seguidores de Lutero, durante a selvagem perseguição aos anabatistas,
e os calvinistas em sua feroz intolerância, promoveram barbaridades e injustiças com a desculpa de estarem
em "Guerra Santa".

Acreditava-se que
mulheres com poderes de
feitiçaria podiam lançar aos seus vizinhos
toda espécie de sorte maléficas, como morte de gado, perda de colheita, morte de filhos, etc. Segundo a tradição, o poder mais
pernicioso de tais bruxas
 era tornar seus
 maridos
cegos a respeito da má conduta de suas esposas e de fazer com que as chamadas feiticeiras gerassem filhos idiotas ou aleijados.
Como a caracterização de bruxas
era a de velhas megeras desdentadas
com hábitos excêntricos e língua venenosa, muitas mulheres com tais características foram mortas em Salem, nos EUA em 1692.

Vejam só a barbaridade:
ter um filho com alguma deficiência já caracterizava a mãe como bruxa ou feiticeira.
Na Europa,
a figura de feiticeira era a de "uma moça linda e perversa",
e grande número de adolescentes e jovens mulheres casadas
foram mortas
na Alemanha e França.

As primeiras perseguições ocorreram no séc. XIII e depois em 1484 com a Santa Inquisição.
O papa Inocêncio II recomendava que seus inquisidores torturassem até obter provas.
Durante a Revolução Protestante essa caça assumiu proporções absurdas.
Lutero aconselhava que se matasse feiticeiras com menos consideração e misericórdia do que se tinha com criminosos comuns.

Sob o comando de Calvino
 em 1545, 34 mulheres foram queimadas ou esquartejadas (vivas) sob acusação de serem ou praticarem feitiçaria.
Mulheres,
moças e até crianças eram torturadas
com agulhas enfiadas sob suas unhas,
assando-se os pés em fogueiras ou esmagando-se as pernas sob grandes pesos "até que a medula espirrasse dos ossos", tudo isso para obriga-las a confessar "orgias repelentes com os demônios".
O ápice desta histeria ocorreu no final do séc. XVI onde o número de vítimas pode ter chegado a 30 mil.
Durante essa época
em cidades alemãs mais
de 900 mulheres foram mortas num só ano,
não restando uma só mulher em algumas cidades.
Até pessoas celebrizadas por nós defendiam que pessoas fossem mortas sob simples suspeita de feitiçaria.
AS MÁSCARAS E FANTASIAS

As máscaras
têm sido um meio de
supersticiosamente afastar espíritos maus
ou mudar a personalidade do usuário e também de comunicação com o mundo dos espíritos. Acreditava-se enganar e assustar os espíritos malignos, quando vestidos com máscaras. Também em outras culturas
pessoas tem usado máscaras
para assustar demônios
que acreditavam trazer desastres como epidemias, secas, etc.
Grupos envolvidos com magia negra e bruxaria também usam máscaras para "criar uma ligação" com o mundo dos espíritos.


O HALLOWEEN HOJE

O Halloween tem outros aspectos negativos além de sua herança pagã arraigada na bruxaria e sua ênfase sobre o diabo e as trevas.
Alguns vândalos estão mais interessados em brincadeiras de mau gosto do que em festas.
Há vários casos de criminosos e loucos distribuindo balas envenenadas ou guloseimas contendo agulhas ou lâminas.
Outro perigo é o de que os motoristas não vêem as crianças com trajes típicos de cores escuras andando em ruas escuras.
Todavia, tais associações com o mal não indicam que os pais que permitem celebrações do Halloween estejam colaborando com o diabo. Mas seria difícil você pensar numa virtude positiva nos festejos do Halloween.
Seu simbolismo
envolve demônios, fantasmas, morte, trevas, esqueletos, medo e terror.






A
história
desta data comemorativa
tem mais de 2500 anos.
Surgiu
entre o povo celta, que acreditavam que no
último dia do verão (31 de outubro),
os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos.
Para assustar estes fantasmas,
os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.
Por ser uma festa pagã

foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas.
Aqueles
que comemoravam
esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição.
Com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de novembro).

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O PROFESSOR ESTÁ SEMPRE ERRADO - (Jô Soares)

O material escolar mais barato que existe na praça é o professor!

É jovem, não tem experiência.

É velho, está superado.

Não tem automóvel, é um pobre coitado.

Tem automóvel, chora de "barriga cheia'.

Fala em voz alta, vive gritando.

Fala em tom normal, ninguém escuta.

Não falta ao colégio, é um 'caxias'.

Precisa faltar, é um 'turista'.

Conversa com os outros professores, está 'malhando' os alunos.

Não conversa, é um desligado.

Dá muita matéria, não tem dó do aluno.

Dá pouca matéria, não prepara os alunos.

Brinca com a turma, é metido a engraçado.

Não brinca com a turma, é um chato.

Chama a atenção, é um grosso.

Não chama a atenção, não sabe se impor.

A prova é longa, não dá tempo.

A prova é curta, tira as chances do aluno.

Escreve muito, não explica.

Explica muito, o caderno não tem nada.

Fala corretamente, ninguém entende.

Fala a 'língua' do aluno, não tem vocabulário.

Exige, é rude.

Elogia, é debochado.

O aluno é reprovado, é perseguição.

O aluno é aprovado, deu 'mole'.



É... o professor está sempre errado, mas, se conseguiu ler até aqui,

agradeça a ele!
Esta é para ser repassada mesmo!!!







Você nunca está sozinho, quando gosta da companhia que esta com você, quando você esta só
Quem não tem cabelo não carrega trança
"Se você não encontrar sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, adicione açúcar, pinga e gelo e vá ser feliz!"
"Nunca deixe aquilo que ama por aquilo que deseja, pois aquilo que você deseja te deixará pelo que ama..“

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

http://www.fgv.br/cpdoc - PESQUISE E SAIBA MAIS

Nesta edição:

Sociologia, Pós-colonialismo e Teoria Social no Brasil (debate)
Laboratório de Estudos sobre Militares (apresentações)
Diálogos: Cultura e Inovação (seminário)
Europa, Brasil e América Latina: perspectivas e relações contemporâneas (evento)
Gordon Institute of Business Science vem ao CPDOC

 
1. Sociologia, Pós-colonialismo e Teoria Social no Brasil (debate)
 
O grupo de leituras "Teorias da Periferia" do Laboratório de Estudos Brasileiros (LEB) do CPDOC, coordenado pelos professores João Marcelo Maia e Cláudio Pinheiro, convida para o debate em torno do tema Sociologia, pós-colonialismo e teoria social no Brasil, com o professor convidado Sérgio Costa (Freie Universitat/Berlin). O evento acontecerá no dia 22 de outubro, sexta-feira, às 10h, na sala 410.
 
Local: Fundação Getulio Vargas
Praia de Botafogo, 190. Auditório 410 (4º andar)
Data: 22 de outubro de 2010, sexta-feira
Horário: 10h
 
A entrada é gratuita e não é preciso fazer reserva. A FGV não permite o acesso de pessoas com shorts ou bermudas nem com sandálias tipo havaiana.
 
2. Laboratório de Estudos sobre Militares (apresentações)
 
Dando continuidade às suas atividades, o Laboratório de Estudos sobre Militares (LEM) do CPDOC convida a todos para sua quarta reunião no dia 28 de outubro às 15h, no auditório 1013.
 
No dia haverá apresentações de:

Helena Carreiras (Professora do ISCTE/ Instituto Universitário de Lisboa. IUL e vice-diretora do Instituto de Defesa Nacional de Portugal).
Comunicação: Opinião pública, defesa e Forças Armadas em Portugal
Maud Chirio (Doutora em História pela Sorbonne - Paris I, professora da Universidade de Paris Est - Marne la Vallée).
Comunicação: Mobilizações políticas e revoltas de oficiais durante a ditadura militar.

Local: Fundação Getulio Vargas
Praia de Botafogo, 190. Auditório 1013 (10º andar)
Data: 28 de outubro de 2010
Horário: 15h
A entrada é gratuita e não é preciso fazer reserva. A FGV não permite o acesso de pessoas com shorts ou bermudas nem com sandálias tipo havaiana.
 
3. Diálogos: Cultura e Inovação (seminário)
 
A coordenação do MBA em Gestão e Produção Cultural, uma parceria entre o CPDOC e a EBAPE da FGV, juntamente com o FGV Management, convidam parao Seminário sobre Diálogos: Cultura e Inovação, que visa discutir as mudanças em curso nas áreas da Cultura e da Economia Criativa, potencializadas pela sociedade em rede e pela convergência de mídias.


Dia 25/10, das 19h às 22h
Inovações em Políticas de Cultura e nos Modelos de Sustentação
Este bate-papo reúne realizadores envolvidos de diferentes formas na criação e gestão de políticas públicas de cultura para explorar ideias e alternativas para promover e financiar projetos culturais e diminuir a exagerada dependência dos mecanismos de renúncia fiscal.


Dia 26/10 – das 19h às 22h
Música e as Novas Mídias
Esta roda debaterá as muitas mudanças que o setor musical vem sofrendo a partir dos processos de inovação tecnológica e as novas formas de criação, difusão e fruição da música.


Dia 26/10 – das 19h às 22h
Inovações em Produção Cultural
Esta roda conversará sobre as novas formas de organização de produções culturais, viabilizadas ou influenciadas pelas redes sociais, baseadas na Internet e nos dispositivos móveis.
 
Para mais informações sobre estas mesas, clique aqui.
 
Local: Fundação Getulio Vargas
Praia de Botafogo, 190. Auditório do 12º andar.
Dias: 25 e 26 de Outubro de 2010
Horário: das 19 às 22 horas
 
A entrada é gratuita mas é preciso inscrever-se. As vagas são limitadas. INSCREVA-SE.
 
3. Europa, Brasil e América Latina: perspectivas e relações contemporâneas (evento)
PDOC da Fundação Getulio Vargas e o Institut d'Études Politiques de Grenoble (IEP-Grenoble/França) convidam para o evento Europa, Brasil e América Latina: perspectivas e relações contemporâneas, a realizar-se em 3 de novembro de 2010 entre 14h e 18h. A tarde será dedicada a duas sessões de discussão, traduzidas simultaneamente do francês para o português e do português para o francês. O evento não requer inscrição prévia, e acontecerá no Auditório 537 (5º andar) do prédio sede da FGV. O programa prevê:

Sessão 1:
Célia Himelfarb: “Crises financières et intégration régionale en Europe et en Amérique Latine”
Sabine Saurugger: “Les groupes d'intérêt (les groupes de lobbying) dans l'Union Européenne“
Ludmila Ribeiro: “Crime, Democracia e Cultura Política nos Estados Unidos e na América Latina”
Sessão 2:
Matias Spektor: “O Brasil Emergente: implicações para a ordem global”
Fabien Terpan: “L'Union Européenne en tant qu'acteur international”
Elena Lazarou: “A emergência do Brasil: implicações da política da União Européia para a América Latina”
Local: Fundação Getulio Vargas
Praia de Botafogo, 190. Auditório 537 (5º andar)
Data: 03 de novembro de 2010
Horário: 14h às 18h
A entrada é gratuita e não é preciso fazer reserva. A FGV não permite o acesso de pessoas com shorts ou bermudas nem com sandálias tipo havaiana.

 
4. Gordon Institute of Business Science vem ao CPDOC
 
Alunos de MBA do Gordon Institute of Business Science (Gibs), a principal escola de negócios da África do Sul, vieram em missão à FGV no dia 14 de outubro. O grupo de 38 estudantes assistiu a palestras sobre o Brasil na Ordem Global do século XXI, ministradas pelos professores de Relações Internacionais do CPDOC Elena Lazarou e Matias Spektor. A missão de Gibs tem ainda encontros com o BNDES, Vale, Petrobrás e o setor financeiro do Rio de Janeiro e de São Paulo. O CPDOC oferece desde 2008 o MBA em Relações Internacionais, coordenado pelo professor Matias Spektor. Mais informações em www.fgv.br/cpdoc/ri.