quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DIA DA BANDEIRA

A Bandeira Nacional, símbolo augusto de nossa Pátria, foi adotada conforme Decreto no 4 de 19 de novembro de 1889, após o Brasil passar a adotar o regime de governo republicano. Não obstante a apresentação de projetos contendo mudanças radicais na antiga bandeira do Império – desenhada pelo francês Jean Baptiste Debret – venceu o bom senso e a tradição, sendo aceita a proposta de Teixeira Mendes, chefe da Igreja Positivista do Brasil, que manteve as cores verde e amarela e ressaltou ao justificar seu projeto que o novo símbolo correspondia a tudo quanto o antigo (do império) tinha de essencial – “Ele lembra, naturalmente, a fase do Brasil-colônia nas cores azul e branco que matizam a esfera, ao mesmo tempo que esta recorda o período do Brasil-reino por trazer à memória a esfera armilar. Desperta a lembrança da fé religiosa dos nossos antepassados e o descobrimento desta parte da América, não por meio de um sinal [...] mas por meio de uma constelação, cuja imagem só pode fomentar a mais vasta fraternidade”. Ficou a Bandeira representada por um losango amarelo em campo verde, tendo no meio a esfera azul-celeste, atravessada por uma zona branca em sentido oblíquo descendo da esquerda para direita com a legenda –“Ordem e Progresso”– inspirada no lema positivista: “o amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim”. Dentro da esfera está representado o céu da cidade do Rio de Janeiro, com a Constelação do Cruzeiro do Sul, correspondendo ao aspecto do céu às 8:30 horas do dia 15 de novembro de 1889, dia da Proclamação da República.
Os homens do mar têm no culto à Bandeira a mais rica das tradições navais. É em frente ao Pavilhão Nacional que todos nós, ao abraçarmos a carreira militar, juramos solenemente honrar e defender à pátria com o sacrifício da própria vida. Seja nas mais distantes organizações militares assim como em todos os navios da Armada, a Bandeira Nacional é reverenciada diariamente no cerimonial de içamento pela manhã e arriamento ao por do sol, em uníssono e com o sentimento de profundo respeito.
Em todo ou qualquer lugar do mundo em que se fizer presente a Marinha brasileira, seja com nossos meios navais ou com a presença dos Fuzileiros Navais, lá estará tremulando em local de destaque, a Bandeira do Brasil. Ela representa para todos nós, soldados marinheiros, o símbolo máximo de nossa nacionalidade e o mais brilhante farol que nos encoraja arrostar grandes desafios e transpor as mais variadas dificuldades, visando sempre aprimorar o continuado trabalho em prol da defesa e do desenvolvimento de nossa pátria.
A Cerimônia do Dia da Bandeira, onde reverenciamos em todo Brasil o símbolo máximo de nossa pátria, também é um momento oportuno para renovarmos o compromisso assumido com o Brasil, assim como a esperança de que com trabalho, dedicação e amor, iremos ajudar a construir um futuro cada vez mais próspero para nossa nação.

Fontes de Consulta:
OS SÍMBOLOS NACIONAIS. Presidência da República, Brasília
TRADIÇÕES DO MAR ( USOS, COSTUMES E LINGUAGENS). Serviço de Relações Públicas da Marinha, Brasília- DF, 1987

Nenhum comentário:

Postar um comentário