sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O que é sociologia - livro

O que é sociologia conta a história do surgimento, da formação e do desenvolvimento da Sociologia como Ciência nos séculos XVIII, XIX e XX respectivamente. O surgimento da sociologia deu-se a partir de três revoluções que ocorreram na Europa do século XVIII: a revolução industrial que consolidou o capitalismo face ao feudalismo medieval; a revolução francesa que em nome da igualdade, da liberdade e da fraternidade colocou no poder a burguesia, destronando a nobreza e o clero, e a revolução cultural do iluminismo que, de resto, pela supervalorização da razão, da ciência e da técnica é, em última instância, responsável pelo modo de vida característico da modernidade. A formação propriamente da sociologia como ciência deu-se no século XIX com a definição de seu objeto e método a partir do posicionamento em relação àquele contexto revolucionado no século anterior de pensadores de três tendências distintas: os conservadores que buscavam reorganizar a sociedade com base nos valores da sociedade feudal: família, propriedade, autoridade e religião, a exemplo de Edmund Burke, Joseph de Maistre e Louis de Bonald; os positivistas que, apesar da influência dos conservadores, eram otimistas em relação ao desenvolvimento do capitalismo industrial e que trabalharam para consolidar a ordem e o progresso, a exemplo de Saint Simon, Augusto Comte e Émile Durkheim, tendo este último definido o objeto de estudo da sociologia como o fato social, e os socialistas que pautaram as contradições do capitalismo e propuseram sua superação pelo socialismo científico a partir do trabalho de Karl Marx e F. Engels para os quais a luta de classes deveria ser o objeto de estudo da sociologia. Outra importante contribuição para a formação da sociologia é a obra de Max Weber para quem o objeto de estudo da sociologia é a ação social. Contesta as teses de Marx e Engels negando o determinismo econômico e afirmando que só a investigação de cada caso poderá indicar qual é o determinante em cada situação social. Quanto ao desenvolvimento da sociologia no século XX pode-se dizer que antes da segunda guerra mundial ela se desenvolveu mais em sua tendência positivista na França com E. Durkheim e seus seguidores; na Alemanha com Max Scheller e Karl Mannheim e nos USA com William Thomas e Robert Park; e que em sua tendência socialista, ignorada no meio acadêmico e marginalizada pelos institutos de pesquisa, foi alimentada com os trabalhos de Lenin e Rosa Luxemburgo sobre o imperialismo. Depois da segunda guerra, graças à hegemonia dos USA, a sociologia aí se desenvolveu vertiginosamente, sobretudo pelo trabalho de autores como Robert Merton, George Lundeberg e Talcott Parsons que contemplaram mais o problema da ordem social do que a questão da historicidade da sociedade, portanto uma sociologia positivista e funcionalista. O marxismo, naquele contexto, era estudado para combater o socialismo. A corrente crítica ligada aos socialistas clássicos, nesta fase, desenvolveu-se, sobretudo, pelos trabalhos de Korsh, Lukács, Adorno, Horkheimer e Marcuse, Gramsci, Althusser, Poulantzas, Bourdieu e outros. Enfim, pode-se dizer que a história da sociologia como ciência está ligada à história do capitalismo não só naquele contexto de seu surgimento que coincide com a consolidação do capitalismo no século XVIII pela revolução industrial, mas também sua formação e seu desenvolvimento refletem as disputas que viriam no século XIX e XX entre os interesses do capital e do trabalho. Constatando-se que, não raro, a sociologia se prestou a ser instrumento de dominação nas mãos das elites.

MARTINS, Carlos Benedito. O que é sociologia. 30. ed. São Paulo: Brasiliense. 1991.

Agostinho Carlos Oliveira Professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário