segunda-feira, 22 de junho de 2009

Historia do Rock Nacional - Rita Lee e Tutti Frutti





















Tutti Frutti foi a segunda banda brasileira de rock que acompanhou Rita Lee, após sua saída dos Mutantes, e que com quem chegou a gravar os seguintes discos:


“Atrás do Porto Tem Uma Cidade” - 1974;


“Fruto Proibido” - 1975;


“Entradas e Bandeiras” - 1976;


“Refestança” - 1977;


“Babilônia” - 1978;




Rita, em 1973 monta a banda, iniciando um trabalho de fortíssima identidade pessoal, como o álbum "Fruto Proibido", considerado por muitos o melhor disco de rock nacional de todos os tempos.

Pioneira nas turnês para grandes públicos, percorre todo o Brasil com enorme aparato de produção, som, luz e cenografia.

Nasce, então, a "Rita Superstar", a maior estrela do rock nacional e a única mulher a atingir tamanha importância no cenário da música brasileira. Performer e compositora inigualável, construiu toda uma obra de verdadeiras preciosidades, entre elas o sempre atual hino dos adolescentes, "Ovelha Negra".

Fazem parte desta fase canções como "Mamãe Natureza", "Menino Bonito", "Esse Tal de Roque Enrow", "Coisas da Vida", "Jardins da Babilônia", "Miss Brasil 2000", "Agora Só Falta Você", "Eu e Meu Gato", "Dançar Para Não Dançar" e "Com a Boca no Mundo".


Nessa época, existia uma alcunha pro roqueiro brasileiro, se dizia o seguinte: "roqueiro brasileiro tem cara de bandido", hoje consiguigo fazer leitura dessa rivalidade, é por que hoje não tenhoimais 17 anos de idade! Na ocasião eu não tinha parâmetros suficientes para avaliar e meus neurônios não se importavam muito em raciocinar a respeito dessas questões. Hoje no entanto esse tempo passou e a produção daquele rock também. Fato é que o rock ali coonstruido tinha qualidades indiscutíveis , justamente por isso, ficaram cravadas no tempo e no espaço da história da musica brasileira de modo irremediável.

Aqui em Limeira o que apareceu de banda( chamadas de conjuntos, por quer banda era sinônimo de corporação musical, daquelas que tocam em coretos) copiando, chupando, carbonando tutti frutti!!! não dá nem pra elenca-los! mas posso afirmar que não foi pouca coisa não! A despeito do fator cópia era muito bom, tudo que era quintal, sala, garagem, qualquer que fosse o espaço, apertado tunha lá uns moleques conectando suas guitarras a aparelhos 3 em 1, rasdio vitrolas e até mesmo em amplificadores de verdade! e fazendo um barulho do cacete.
Posso me considerar um cara de sorte por que meu pai, o Manoel, caminhoneiro escolado e viajado pra dedéu, e ter um gosto muito bom pra musica, gostava de seresta, daqueles cantores que cantavam sem microfone! gritavam bastante assim como os roqueiro que eu estava aprendendo a idolatrar, portanto, pasmem! meu pai gostava da maioria do que eu levava pra casa! que garoto feliz eu era e não sabia! deixei meu cabelo ruim crescer tanto quanto foi possivel e lógico do ponto de vista social! Continuo num próximo momento!



Nenhum comentário:

Postar um comentário